46ª Exposição de Orquídeas reuniu mais de 630 plantas ornamentais de 80 espécies

A cidade recebeu visitantes de todos o estado na 46ª edição da Exposição de Orquídeas

46ª Exposição de Orquídeas reuniu mais de 630 plantas ornamentais de 80 espécies

A cidade recebeu visitantes de todos o estado na 46ª edição da Exposição de Orquídeas

Mais de 80 espécies e 630 plantas estiveram em exposição entre sexta-feira e domingo no pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof. A cidade recebeu visitantes de todos o estado na 46ª edição da Exposição de Orquídeas, Plantas Ornamentais, Flores, Arte e Artesanato. Entre os destaques deste ano, estão plantas raras e estrangeiras, como orquídeas colombianas, mexicanas e de origem europeia.

João Carminati é presidente da Associação Brusquense de Orquidófilos e Amadores de Plantas Ornamentais (Abapo) há seis anos e revela que a paixão pela planta traz muitos visitantes para a cidade. “Depois de Joinville, somos a cidade catarinense que mais cultiva esse tipo de flor. Brusque é referência no estado. A paixão pelo cultivo da orquídea fez surgir esse evento há 46 anos e sempre tentamos manter a tradição. Além da exposição aqui no município, fazemos também em outras cidades da região”, explica.

A maioria das orquídeas são plantadas aqui na região, inclusive as de origem estrangeira. Espécies raras como a mandayana, trilabelo e russeliana podem chegar a R$ 6 mil. Entre as flores em exposição, algumas foram achadas na mata, como a Laelia Purpurata, encontrada na mata nativa e que é o símbolo do estado de Santa Catarina.

Além das mostra de espécies, o evento foi aberto também para os comerciantes venderem suas orquídeas. A florista Carmem Becker, de Blumenau, está há mais de cinco anos participando da exposição em Brusque e revela como faz para cultivar as plantas. “Eu faço isso há mais de 20 anos e participo de várias feiras. Plantar orquídeas é algo bem demorado, porque não é uma flor fácil de manter. Elas podem durar anos, mas no mínimo descuido podem morrer. Faço isso mais por gosto do que por dinheiro em si”, declara.

Carminati começou a plantar orquídeas há 16 anos, depois que a esposa passou por um problema de saúde. Para ajudá-la, decidiu aprender a cultivar a flor preferida de sua mulher. Ao longo dos anos aprendeu sobre as espécies, as necessidades da planta, os tipos que existem na nossa região e em outros locais do país e atualmente oferece cursos na Abapo. “Eu fui aprendendo aos poucos, principalmente com os mais velhos. Depois de um tempo, eu e minha mulher montamos nosso próprio orquidário. Hoje temos muitas plantas e ensinamos outras pessoas a cultivar, replantar e reconhecer as espécies das orquídeas”, conta.

De acordo com ele, depois de um tempo, o orquidófilo aprende a reconhecer a necessidade de cada planta. “A maior parte das informações estão nas folhas da orquídea. Se a folha estiver levantada, por exemplo, ela quer sol, caso contrário, você deve deixá-la na sombra. Nem toda orquídea necessita do solo para se desenvolver, temos tipos delas que nascem nas árvores, como é o caso das epífitas. Há também as rupícolas, encontradas em áreas rochosas”, explica.

Antes da abertura da mostra de flores, que começou na sexta-feira, 14, uma comissão formada por orquidófilos de todo o estado e da Abapo elegeu as orquídeas mais bonitas. A exposição terminou na noite de ontem.
Novo orquidário

No próximo domingo, 23, a Abapo inaugura seu novo orquidário no bairro Rio Branco. De acordo com Carminati, esse é o primeiro local oficial que a Abapo abrirá ao público que quer conhecer um pouco sobre o cultivo da planta ou para visitação. Além disso, serão oferecidos cursos para a comunidade a partir do próximo ano.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio