Acapra retomará mutirão de castração de animais em casa do Horto Florestal

Prefeitura deu sinal verde à entidade, que realizará melhorias no local para garantir alvará

Acapra retomará mutirão de castração de animais em casa do Horto Florestal

Prefeitura deu sinal verde à entidade, que realizará melhorias no local para garantir alvará

O mutirão de castração da Associação Brusquense de Proteção aos Animais (Acapra) deve ser realizado em uma casa dentro do Horto Florestal da Prefeitura de Brusque, no bairro Cedrinho.

Na última semana, membros da entidade visitaram o local e chegaram à conclusão de que o espaço é adequado para receber o mutirão.

Na tarde de sexta-feira, 16, representantes da Acapra se reuniram com a Secretaria de Saúde para ver a possibilidade de utilizar o local para as cirurgias.

Louisiane Cunha, que é voluntária da entidade, explica que a pasta concordou em ceder o local, porém, é preciso cumprir algumas formalidades exigidas pela legislação. “Precisamos dar entrada em um convênio com a prefeitura e também fazer algumas melhorias na estrutura da casa para que o alvará da Vigilância Sanitária seja liberado”.

O vereador Jean Pirola (PP), que acompanhou a visita ao Horto Florestal e também participou da reunião na sexta-feira, destaca que o local é ideal, já que tem espaço para sala de espera, de pré e pós-cirurgia, necessárias para que as castrações possam ser realizadas.

O mutirão deve durar dois dias e a ideia da entidade é que sejam realizadas 100 cirurgias por dia a um preço acessível, direcionada para famílias de baixa renda. O valor fica entre R$ 100 e R$ 150 para gatos e cães, macho ou fêmea, independente do peso do animal. “Muito abaixo do preço cobrado em clínicas particulares”, destaca Louisiane.

De acordo com ela, profissionais de fora, especializados neste tipo de ação, viriam para Brusque para realizar as cirurgias. A Acapra só precisa ceder um local e fazer as adaptações necessárias.

A última vez que Brusque teve campanha de castração foi em 2015, ainda realizada pela prefeitura. De lá para cá, o programa ficou parado por falta de recursos. De acordo com a Acapra, a castração só traz benefícios aos animais já que reduz as fugas, a agressividade, o risco de câncer e a superpopulação, além de aumentar a longevidade.

Só no ano passado, a entidade fez 190 doações em feiras, 180 doações para lares temporários, e verificou 75 das 92 denúncias de maus tratos e abandono de animais. Também foram distribuídos 4,5 mil quilos de ração. A média mensal de gastos com veterinários ultrapassou os R$ 17 mil.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio