Conteúdo exclusivo para assinantes

Acordo bianual garante 2017 sem greve de bancários em Brusque

Negociação salarial fechada no ano passado vale também para este ano e evita paralisações

Acordo bianual garante 2017 sem greve de bancários em Brusque

Negociação salarial fechada no ano passado vale também para este ano e evita paralisações

Já tradicional no calendário dos brasileiros, a greve dos bancários não acontecerá neste ano. A negociação coletiva fechada no ano passado abrangeu também o acordo deste ano. Por isso, a greve está descartada em 2017.

Segundo o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Brusque (Seeb), Mário Dada, a categoria aguarda, neste momento, a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), em 31 de agosto, para calcular o acréscimo.

O reajuste salarial deste ano será o INPC dos 12 meses mais 1% de ganho real. “Só haverá greve se houver um fato novo, caso contrário, não vai ter”, diz o sindicalista.

A assinatura do acordo no ano passado com validade para 2016 e 2017 foi uma novidade. Os bancários voltarão a negociar a sua condição de trabalho no ano que vem.

Greves
Os bancários conseguiram assinar o acordo coletivo no ano passado após 31 dias de greve. Em Brusque, a adesão foi tímida. O Banco do Brasil e a Caixa Econômica fecharam as portas totalmente, e nos bancos privados a paralisação foi parcial e oscilante.

Ainda assim, houve prejuízo no atendimento. A greve foi encerrada, em Brusque, no dia 7 de outubro. A negociação do ano passado garantiu um reajuste de 8% em 2016 e abono de R$ 3,5 mil.

A proposta também incluiu aumento de 10% no vale refeição e no auxílio-creche-babá e de 15% no vale alimentação.

Foi uma das negociações mais complicadas da década, segundo entidades sindicais. Os bancos alegaram que a crise financeira impedia concessões maiores. A duração de 31 dias de greve foi a maior desde 2004.

O acordo só foi selado na terceira negociação, após a apresentação da terceira proposta por parte da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Em 2015, também houve greve, que durou por três semanas.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio