Acusado de aplicar golpe em Brusque é reconhecido por vítimas

Homem estava na fila de uma agência bancária quando o casal o apontou como golpista

Acusado de aplicar golpe em Brusque é reconhecido por vítimas

Homem estava na fila de uma agência bancária quando o casal o apontou como golpista

Um homem de 25 anos foi detido na manhã desta sexta-feira, 9, acusado de estelionato, na rua Felipe Schmidt, no Centro. Um casal de namorados reconheceu o homem por ter passado o golpe do “achadinho” no dia 8 de novembro. Ao encontrá-lo na fila de uma agência bancária, o casal apontou para ele como sendo o golpista.

Com isso, o homem saiu correndo, mas foi detido por pessoas que passavam próximo ao semáforo, no cruzamento com a rua João Bauer. Quando a Polícia Militar chegou, o homem disse que veio de Curitiba e ficaria na casa de uma tia em Blumenau, mas estaria em Brusque de passagem. Por diversas vezes o rapaz se contradisse em suas explicações.

Ele foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil para se explicar ao delegado. Um inquérito policial foi instaurado para averiguar o caso. As imagens das câmeras de monitoramento próximo ao local onde ocorreu o golpe deverão ser analisadas pela polícia.

Na data do golpe, há um mês, o casal foi até a agência bancária para sacar o FGTS. Após irem no banco, os dois foram até uma loja em frente e, na saída, foram abordados por um homem, que achou um envelope contendo dinheiro, que tinha caído da mão do acusado detido, que caminhava um pouco mais a frente.

Após o homem insistir para dividirem o dinheiro, o jovem que foi vítima, chamou o golpista detido para devolver o envelope. Muito agradecido, o homem disse que dentro havia R$ 13 mil que pertencia a seu patrão.

Como haviam achado o dinheiro, o homem prometeu uma bonificação de R$ 400 para cada, mas que deveria ser retirado no escritório de engenharia, próximo à Escola de Educação Básica Feliciano Pires.

Eles foram até lá e o acusado disse que iria até o escritório primeiro para falar com o patrão antes e ao retornar, trouxe três vales de R$ 400 para serem retirados na empresa.

“Ele disse que o patrão dele queria conhecer a gente. Primeiro foi o outro homem, também golpista. Ele voltou exibindo o dinheiro e disse para irmos porque o homem estava nos esperando e para levarmos o dinheiro achado no envelope”, conta a mulher.

Antes do casal ir procurar o escritório, o golpista pediu para deixar um documento como garantia de que voltariam. O rapaz deixou a carteira contendo os documentos, a mulher o celular. Porém, o golpista pediu para deixar mais dinheiro, pois estariam em posse de R$ 13 mil. Foi então que o casal deixou o valor de R$ 3,5 mil.

“Procuramos o tal escritório e não achamos, ficamos cerca de uma hora caminhando. Até que fomos em uma advocacia e perguntamos, foi então que a mulher questionou o motivo e ao contarmos, ela pediu para ver o envelope. Foi quando vimos que era um golpe”, conta a mulher.

O casal registrou o boletim de ocorrência e no mesmo dia receberam a ligação de um homem que havia encontrado o celular e a carteira com os documentos próximo a um supermercado, na avenida Otto Renaux.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio