Acusados de envolvimento na morte de Roberta Keller vão a juri popular em abril

Ela tinha 19 anos na época e foi queimada viva em matagal no bairro Nova Brasília, em maio de 2017

Acusados de envolvimento na morte de Roberta Keller vão a juri popular em abril

Ela tinha 19 anos na época e foi queimada viva em matagal no bairro Nova Brasília, em maio de 2017

A data do juri popular de Cláudio Batista Santos e Júlio César Poroski foi definida pelo juiz de Direito Titular da Vara Criminal da Comarca de Brusque, Edemar Leopoldo Schlösser. Eles são acusados de envolvimento no assassinato de Roberta Keller, em maio de 2017 será no próximo dia 13. Na próxima sexta-feira, 23, ocorre o sorteio para escolha dos 25 jurados. Do total, sete devem formar o Conselho de Sentença.

Robson Geovane Mendes dos Santos e Charles Natanel Vieira são citados no caso, mas não devem passar pelo processo por terem recorrido da decisão de pronúncia no processo. Segundo o comunicado encaminhado nesta semana, o caso é classificado como homicídio triplamente qualificado, pelo motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa da vítima. A ocultação de cadáver também é citada.

A denúncia descreve que o grupo levou Roberta até um matagal na rua Zulmira Raizer, bairro Nova Brasília. Santos, descrito como chefe de uma organização criminosa com atuação no município, ateou fogo no corpo da jovem. Em julho de 2017, uma reconstituição do caso foi feita pela Polícia Civil.

Ela ainda estava viva no momento do crime. O ato, de acordo com referência aos laudos da perícia, a fez queimar viva com sofrimento desnecessário, sem a possibilidade de fugir ou reagir. O crime teria sido motivado boatos de que ele teria interesse na jovem. Roberta também teria furtado drogas de um ponto de venda do grupo.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio