Acusados de homicídio em Brusque vão a júri popular

Ciúme teria sido o motivo do assassinato cometido em março 2013

Acusados de homicídio em Brusque vão a júri popular

Ciúme teria sido o motivo do assassinato cometido em março 2013

Dois homens irão a julgamento em Brusque acusados de homicídio. Carlos Alexandre Barbosa de Lima e Paulo Otávio Pacheco, o Pachequinho, de 21 e 22 anos, respectivamente, estão presos na Unidade Prisional Avançada (UPA) de Brusque. A decisão é do juiz Edemar Leopoldo Schlosser. O julgamento ainda não tem data marcada.

Segundo o inquérito policial, eles são responsáveis pelo assassinato de Kleiton Reis. Ele teria ido a uma festa em março de 2013, na casa de Paulo, no bairro Nova Brasília. No decorrer da festa, os acusados teriam saído de casa para comprar drogas. De acordo com a polícia, Carlos negociava com Kleiton a venda de uma arma de fogo.
Os acusados já teriam tudo planejado: a arma seria oferecida a Kleiton, e, com a falsa desculpa de testá-la, o levaram para um local conhecido como morro da lajota, no bairro Nova Brasília. A informação é de Pachequinho teria atirado na vítima. A razão do crime, segundo inquérito, teria sido o ciúme causado por um antigo relacionamento amoroso que a vítima teve com a namorada de Pachequinho.
Após saber do relacionamento, Pachequinho fingiu-se amigo da Kleyton, convidando-o a frequentar festas e se dispondo-o a levá-lo a comprar drogas, já com a intenção de matá-lo. “Ao investir contra a vítima de forma repentina e inesperada, o denunciado não permitiu que ela esboçasse qualquer reação, pegando-a desprevenida, pois não poderia suspeitar da agressão, impossibilitando-a, deste modo, de exercer qualquer meio de defesa”, relata o juiz, na sentença.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio