Adolescente cadeirante e fã de Luan Santana sonha em conhecer o ídolo

Mãe conseguiu entradas para o show, mas agora tenta levá-la ao camarim do artista

Adolescente cadeirante e fã de Luan Santana sonha em conhecer o ídolo

Mãe conseguiu entradas para o show, mas agora tenta levá-la ao camarim do artista

Emily Cristini de Souza Rodrigues tem 15 anos e é fascinada pelo cantor Luan Santana. Tudo começou quando a menina, aos 8 anos, foi contagiada com o vírus da H1N1, conhecida como gripe suína, e ficou com sequelas que foram somadas a má formação congênita, adquirida aos oito meses de vida, e deixaram a menina refém da cadeira de rodas.

Sem poder andar ou falar, a menina começou a assistir mais vezes a televisão e, quando viu o cantor pela primeira vez, ficou encantada. A mãe, Eliana Schmitz, 35, relembra que na época elas brincavam com a menina, pensando que a idolatria pelo cantor passaria com o tempo. Mas não passou.

“A única coisa que ela tinha para fazer era ver televisão e ela se encantou por ele”, revela a mãe.

Na última vez que o cantor esteve na cidade para realizar um show, a mãe prometeu levar a filha para conhecer o ídolo. No entanto, ela estava com escoliose severa (curvatura lateral da coluna vertebral) e precisou passar por uma cirurgia.

A menina ficou triste, mas a mãe fez a promessa de que na próxima vinda do cantor a Brusque, levaria a filha para realizar o sonho. Quando descobriram que o artista se apresentará na cidade no Natal Luz Havan, em novembro, Eliana e a irmã Edimara Schmitz de Souza, 32, providenciaram uma campanha nas redes sociais para Emily conhecer o cantor no camarim.

A mãe de Emily recorda que no dia das eleições, 7 de outubro, encontrou o proprietário das lojas Havan, Luciano Hang, e conversou com ele explicando o sonho da filha. “Eu consegui falar com ele mesmo. Ele falou para mim que já tinha visto a campanha e o que ele poderia fazer era (conseguir) as pulseirinhas”, revela.

Para ela, no dia que a filha conhecer o ídolo será um encontro emocionante. “A gente fala no Luan Santana e ela vibra. Ela fica muito emotiva só de ver todo mundo querendo ajudar. Acho que ela ficará muito feliz”, revela.

A tia Edimara foi a responsável por criar a campanha nas redes sociais e agora gere a tarefa de realizar o sonho da sobrinha. Depois de verem a matéria no jornal O Município em que a mãe de um menino estava realizando uma campanha para conhecer o cantor Luan Santana, a ideia para criar a campanha ficou mais forte. “Eu falei para ela (mãe da Emily) ‘vamos tentar também, é algo a mais’”, relembra.

Segundo ela, muitas pessoas estão compartilhando o post. “Não depende só deles [Havan], depende da assessoria do Luan para ela poder entrar no camarim. Por enquanto, eles disseram que a gente vai ganhar só as pulseiras, não falaram nada de camarim”, explica.

“Se a gente não conseguir, a gente vai no show de qualquer jeito. Lá a gente vai fazer alguma coisa para ver se ele consegue, pelo menos, tirar uma foto com ela”, declara a tia Edimara.

Conheça e participe da campanha para realizar o sonho da Emily.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio