Almoço de Ideias aborda economia nacional e os reflexos em Santa Catarina

Evento da Acibr reuniu cerca de 250 empresários da região na Sociedade Bandeirante

Almoço de Ideias aborda economia nacional e os reflexos em Santa Catarina

Evento da Acibr reuniu cerca de 250 empresários da região na Sociedade Bandeirante

Consolidado como um dos principais eventos empresariais do ano na região, a 17ª edição do Almoço de Ideias da Associação Empresarial de Brusque (Acibr) abordou a economia nacional e os reflexos na região e no estado. Leonardo Alonso Rodrigues, economista da Facisc, palestrou para os cerca de 250 empresários que participaram do evento, nesta quinta-feira, 10, na Sociedade Esportiva Bandeirante.

Rodrigues, da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), foi o palestrante principal do Almoço de Ideias. Ele demonstrou, com estatísticas, o cenário econômico local e nacional.

O economista destacou que Santa Catarina foi o último estado a sofrer com a crise financeira. A demora para que as empresas fossem impactadas só ocorreu, em resumo, por causa do crescimento sólido catarinense e porque os empresários adotaram medidas de austeridade.

O governo estadual também colabora para que a economia catarinense não seja tão vulnerável. Os pagamentos dos servidores continuam em dia, por exemplo, enquanto que Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro enfrentam graves problemas.

Reflexos
Rodrigues discorreu sobre a situação política nacional, que tem impacto direto na economia do país, já que causa insegurança político-jurídica. 

O economista também comentou sobre a condução da economia nacional por parte do governo de Michel Temer. Um dos pontos abordados foi o aumento de impostos. A medida foi adotada pelo Palácio do Planalto para reduzir o tamanho do rombo nas contas federais.

“O pior é que estão correndo atrás de receita para fechar com déficit de R$ 139 bilhões”, disse Rodrigues.

Recuperação
Ainda que a economia não esteja bem, tampouco o governo federal esteja em situação confortável, há indicativos de que o estado sairá da crise financeira. Na avaliação de Rodrigues, há bons indicadores econômicos.

Mas a recuperação dos postos de emprego fechados devido à crise deve ser mais demorada. É um efeito cascata: primeiro a economia melhora, para o empresário acreditar, investir e, então, contratar mais funcionários.

André Gaidzinski, vice-presidente da indústria da Facisc, falou antes de Rodrigues. Integrante do grupo Eliane, de Criciúma, ele destacou a alta carga tributária no Brasil. Também discursou sobre a situação privilegiada de Santa Catarina.

Gaidzinski também comentou que a Facisc entrou com um mandado de segurança na Justiça para derrubar o aumento de impostos. Segundo ele, 60% dos caminhoneiros do país são donos do próprio veículo e não têm como absorver um aumento tão grande.

Palestra online
O presidente da Acibr, Halisson Habitzreuter, comemorou a alta adesão dos empresários ao 17º Almoço de Ideias. Ele avalia que o evento já se consolidou na região, por isso é prestigiado e a cada edição os números comprovam o sucesso.

Desde a 16ª edição, quem não foi ao Almoço de Ideias não perde nada. “A palestra estará disponível na nossa Escola de Negócios. Quem não conseguiu vir ou quiser rever poderá assistir online. É mais uma ferramenta disponível para todo associado”, disse Habitzreuter.

Evento prestigiado
O vice-presidente regional da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), Ingo Fischer, considera que o palestrante, embora desconhecido para alguns, falou com propriedade sobre a economia e apresentou dados importantes para o empresariado.

“Quando o cinto aperta, é para todos. Então, você tem que fazer muito com pouco. A crise também é uma oportunidade de melhorar, e ela não vem para ficar muito tempo. Uma hora a crise acaba. Acreditamos que no fim de 2018 ou primeiro semestre de 2019 deve melhorar”, destacou Fischer.

O prefeito Jonas Paegle também participou. “Realmente é um almoço importante, com ideias fundamentais, na área econômica e industrial. A aplicação dessa verba pelos empresários é importante para a cidade, que tem uma indústria pesada, como a metalmecânica e a têxtil”.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Brusque, Michel Belli, o Almoço de Ideias é uma oportunidade de fazer contatos. “Sou um apaixonado pelo associativismo e network. O Almoço de Ideias é um momento magnífico para a troca de cartões e de informação”, afirmou.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio