Alunas do Senai têm trabalhos selecionados no Prêmio Brasil Sul Moda Inclusiva

Evento acontece em novembro em Florianópolis; estudantes confeccionarão looks para pessoas com deficiência

Alunas do Senai têm trabalhos selecionados no Prêmio Brasil Sul Moda Inclusiva

Evento acontece em novembro em Florianópolis; estudantes confeccionarão looks para pessoas com deficiência

Quatro alunas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Brusque tiveram seus trabalhos selecionados para o Prêmio Brasil Sul 4º Moda Inclusiva, promovido pela Nação Brasil Instituto Social.

As estudantes de Aprendizagem Industrial em Desenhista de Produto de Moda – três de Brusque e uma de Guabiruba -, apresentaram croquis de moda, ou seja, desenho feito à mão, pensados para pessoas com qualquer tipo de deficiência. Foram enviados modelos para pessoas com perna mecânica, cadeirantes, deficientes auditivos e cegos. Em novembro, durante evento em Florianópolis, modelos com deficiência estarão na passarela e apresentarão os looks elaborados pelas alunas.

A professora de aprendizagem do Senai, Karin Regina Kohler Formonte, tinha conhecimento sobre o prêmio pois já havia trabalhado em outras instituições. Além disso, ela participou do lançamento do projeto em maio, também na capital catarinense, e trouxe mais informações para Brusque. A direção do Senai gostou da ideia e durante uma semana as jovens desenvolveram os croquis. Cada uma mandou três croquis diferentes, sendo que apenas um de cada uma será escolhido para o desfile.

Dos 20 trabalhos selecionados nos três estados do Sul, quatro foram do Senai, o que para a coordenadora de Aprendizagem Industrial em Desenhista de Produto de Moda, Natália Tarter Thomaz, é motivo de orgulho. “A organização do evento falou que teve dificuldade em fazer a escolha pelo ótimo nível dos trabalhos. São alunas da aprendizagem e concorreram com universitários e com pessoas que estão até no mercado de trabalho”.

Natália afirma que hoje existe um padrão de roupas no mercado e que os looks para pessoas com deficiência precisam de ajustes, de adaptações para que sejam adequadas à sua necessidade e levante a sua autoestima. “É preciso facilitar para que elas possam utilizar essas roupas, pois às vezes chegam nas lojas e não encontram o que procuram. É um momento de valorização em que percebem que alguém pensou neles, nas suas dificuldades”.

A coordenadora explica que as estudantes agora farão a produção dos looks, que incluiu etapas de desenvolvimento da modelagem, tirar as medidas dos modelos, costura, acabamentos e várias provas. A professora de aprendizagem afirma também que nesta fase uma equipe técnica, formada por outros professores e estudantes, auxiliará as alunas na produção. “A moda não é só glamour, paetês, brilho, desfiles internacionais e toda essa questão tão cheia de clichês. Moda é conseguirmos fazer uma peça de roupa para pessoas que normalmente não são lembradas, tem coisa mais bonita e mais nobre do que isso?!”, diz Karin.

Satisfação e alegria

Jessica Medeiros, 16 anos, Jainy Matos, 16, Milaine Cristine Iatzack, 14, de Brusque e Júlia Kohler, de Guabiruba, foram as alunas com os trabalhos selecionados. Jessica conta que para a elaboração dos croquis, além do relato das dificuldades de uma cadeirante de Itajaí, também realizaram pesquisa na internet para compreender melhor o universo dos deficientes. “Percebemos que cadeirantes precisam de calças mais compridas, que quem utiliza sonda precisa de um velcro, buscamos por materiais que não machucassem essas pessoas”.

Jessica ainda diz que a experiência foi muito importante e agregará no futuro, pois para ela, além de ter a experiência como desenhista, se pensou em outras pessoas. “Pessoas com deficiência querem se sentir bem e na moda. É uma alegria poder proporcionar essa alegria para elas”.

Milaine e Júlia afirmam que o projeto permitiu que fugissem do convencional e criando looks diferenciados pensassem nos outros. “Eles ensinam algo pra gente de alguma forma”, afirma Milaine. Jainy também diz que a conquista foi motivo de orgulho para a família toda e que a experiência “foi mais do que somente desenhar”.


Premiação

O desfile e a solenidade de premiação do Prêmio Brasil Sul 4º Moda Inclusiva acontece no dia 25 de novembro, às 18 horas, em Florianópolis. Três dos 20 trabalhos selecionados serão premiados. O primeiro colocado ganhará um estágio na RenauxView em Brusque.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio