Amador de Guabiruba: Cruzeiro busca empate, mas Lageadense garante vaga na final

Goleiro dos anfitriões defendeu pênalti e foi destaque da partida

Amador de Guabiruba: Cruzeiro busca empate, mas Lageadense garante vaga na final

Goleiro dos anfitriões defendeu pênalti e foi destaque da partida

O Lageadense se classificou à final do Campeonato Amador de Guabiruba ao empatar com o Cruzeiro em 1 a 1 no estádio Reinaldo Batschauer na manhã deste domingo, 25. O time do Lageado Baixo abriu o placar com Paulo Martins, aos 22 do segundo tempo, enquanto os visitantes marcaram de pênalti com Jean Rafael. É o terceiro ano consecutivo em que a equipe verde-rubra chega à final da competição.

Foi o Cruzeiro quem começou atacando com mais ímpeto, afinal, precisava vencer por um gol de diferença para levar a disputa aos pênaltis e por dois ou mais para garantir a classificação. Aos 17 minutos, após cruzamento, a defesa do Lageadense parou e o atacante Vanderlei acertou um lindo voleio da entrada da pequena área, mas a bola explodiu na junção da trave esquerda do goleiro Royo com o travessão.

Royo defende o primeiro pênalti do Cruzeiro | Foto: João Vítor Roberge

A resposta do Lageadense veio dois minutos depois. Após bola alçada pela direita, o meia Eder Tormena subiu bem para cabecear e obrigar o goleiro Fábio Cota, o Fabinho, a fazer uma ótima defesa para escanteio. Os dois protagonizaram um lance muito parecido aos 30 minutos, mas desta vez o arqueiro fez uma defesa encaixada.

Aos 33 minutos, o árbitro Irani Vieira marcou pênalti para o Cruzeiro após ver toque de mão. Jean Rafael foi para a cobrança, mas Royo pulou para a esquerda e fez ótima defesa espalmando para escanteio. O time celeste seguiu tentando o gol, que não saiu.

Jean comemora o gol de empate do Cruzeiro | Foto: João Vítor Roberge

Ataque contra ataque
Com o desperdício de chances do Cruzeiro nas quais raramente existiam condições de finalização certeira, quem abriu o placar foi o time da casa. Júnior, que entrou no segundo tempo substituindo o atacante Edinisio, fez boa jogada pela direita aos 22 minutos, dentro da área. Ele ganhou no corpo e conseguiu passar para Paulo Martins, que livre de marcação e com o goleiro já fora do lance, completou para o gol.

A comemoração durou pouco. Dois minutos depois, novo pênalti por toque de mão para o Cruzeiro. Desta vez, Jean Rafael deslocou Royo e colocou sua equipe de volta no jogo.

Mas o Cruzeiro não conseguia marcar o segundo gol, e passou a chegar com menos força ao ataque, apostando na bola aérea. Aos 33 minutos, um cabeceio certeiro colocaria a bola no ângulo, mas Royo, vivendo uma grande manhã, voou para fazer uma defesa espetacular.

O Lageadense respondia aproveitando alguns espaços na defesa adversária, mas a finalização saía mal. Júnior, autor do gol da equipe, perdeu pelo menos cinco boas chances por falta de capricho na conclusão. Beto, outro atacante, também perdeu uma chance. Júnior puxou a marcação e passou para o companheiro, que na quina esquerda da pequena área chutou, mas a bola subiu um pouco além do necessário.

“O jogo foi bom. O Jean perdeu o pênalti, mas ele é o cobrador, já marcou outras vezes no campeonato. Perdemos algumas chances. É isso aí, é futebol. Infelizmente não conseguimos a classificação. O clube é bom, a amizade é show de bola, ano que vem tem mais”, declara o jogador Joel Schaefer, que deve permanecer no Cruzeiro em 2019.

“Agradeço a Deus pela classificação. Fizemos todos um bom jogo. Vamos nos preparar para a final. O Jean trabalha comigo, já vi ele batendo alguns pênaltis, mas é complicado. Temos algumas técnicas para identificar o canto em que o cobrador vai bater. Um professor meu de Florianópolis me ensinou isso, e fico feliz de ter posto em prática hoje”, conta o goleiro Royo, do Lageadense.