Apático, Brusque perde para Chapecoense pelo Campeonato Catarinense

Wellington Paulista marcou duas vezes em falhas da defesa quadricolor; time teve pior atuação da temporada

Apático, Brusque perde para Chapecoense pelo Campeonato Catarinense

Wellington Paulista marcou duas vezes em falhas da defesa quadricolor; time teve pior atuação da temporada

Com problemas de organização e queda de rendimento em todos os setores, o Bruscão perdeu para a Chapecoense na Arena Condá pelo placar de 2 a 0. Welllington Paulista, centroavante dos mais experientes do país, colocou duas bolas na rede de Dida em apagões da defesa e foi o algoz.

Pelas circunstâncias da partida, o Bruscão, que começou o campeonato como promessa, concentra em um novo objetivo dentro da competição: lutar contra o rebaixamento. O confronto contra a Chape foi na tarde deste domingo, 11.

Sem sal
Faltou ao Brusque o sangue nos olhos e a raça que lhe são peculiares durante o primeiro tempo da partida contra a Chapecoense. Era visível que o time em campo não acreditava que conseguiria vencer. E a falta de ambição custou uma derrota parcial ao time de Pingo.

Os dois times se comportaram de maneira muito semelhante. Faltava coragem para atacar, sobrava trabalho para a defesa. Mas os goleiros não trabalharam tanto quando poderiam. Sobrou para quem acompanhou o duelo um jogo burocrático, faltoso, com duas equipes desatentas. Mas era claro que a Chape demonstrava superioridade organizacional, o que faria toda a diferença para que o time saísse vencendo.

Dida, como sempre, precisou fazer boa defesa para não sofrer gol. Após um cruzamento da direita, ele saiu errado e deu de presente para Arthur, mas no chute o arqueiro conseguiu defender. Antes disso, Elicarlos já havia assustado em um chute rasteiro de fora, que não entrou por detalhes.

Aos 30 minutos de jogo, a prova de como um passe de qualidade pode mudar a partida. Bruno Pacheco deu cruzamento com perfeição da esquerda, a bola passou por cima de Cleyton e chegou na cabeça de Wellington Paulista, que só desviou. Dida saltou, mas não chegou na bola e a Chape largou na frente.

O Bruscão até ensaiou uma pequena pressão na reta final da partida, mas como vem se tornando praxe nas últimas partidas do time, o ataque não funcionou. Passes quadrados e mau posicionamento foram os elementos que impediram o quadricolor de sequer chegar perto da meta. Com isso, a partida encerrou seu primeiro tempo com vitória verde e branca.

Repeteco
Wellington Paulista, atacante que já defendeu grandes clubes nacionais, é conhecido dos amantes do futebol. Mas aparentemente, para a defesa do Brusque, o atacante é novidade.

Depois de marcar bobeira no primeiro gol do Verdão, o elenco vacilou mais uma vez deixando o atleta livre em cobrança de falta. Arthur levantou a bola na área e, sozinho, Wellington deu uma casquinha desviando para as redes.

E os sufocos continuaram. Já que o time não tinha capacidade para dar sustos à Jandrei e a defesa bem postada do time adversário foi muito superior à criatividade quadricolor, quem ficou perto de marcar mesmo foi a Chape, mais uma vez. Em cobrança de falta, Alan Ruschel colocou a bola no travessão.

Com muito sofrimento, o Brusque conseguiu perder por “apenas” dois gols na Arena Condá. Mas ao apito final de Célio Amorim, os poucos torcedores brusquenses que acompanharam o jogo em Chapecó tiveram a certeza de que falta muita coisa no Bruscão para voltar a ser aquele time guerreiro e surpreendente de outrora.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio