Conteúdo exclusivo para assinantes
Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Apesar de determinação do STF, dez juízes ainda não enviaram discriminação de todos os auxílios que recebem

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Apesar de determinação do STF, dez juízes ainda não enviaram discriminação de todos os auxílios que recebem

destaque: auxílio-mansão

Raul Sartori

Ganhos e perdas
O presidente da Federação do Comércio de SC, Bruno Breithaupt, reconhece que o Legislativo estadual aprovou projetos importantes em 2017, como os de reestruturação administrativa do Executivo e a viabilização das Parcerias Público-Privadas e Concessões, mas também outros de impacto negativo para o setor terciário. Em especial a lei, no final do ano, na penumbra e afogadilho, como sempre, que majorou de forma abusiva as taxas estaduais, chegando a alguns casos a mais de 700%. E, evidentemente, deixando um rastro de suspeitas sobre quem teria levado milionárias vantagens pessoais.

Na fila
Três anos depois de receber os primeiros inquéritos da Operação Lava-Jato, o Supremo Tribunal Federal se prepara para bater o martelo sobre os primeiros processos. Estão na fila os envolvendo a notória senadora paranaense Gleisi Hoffmann, presidente do PT, e do deputado federal, catarinense de Caçador, mas radicado no Paraná, Nelson Meurer (PP). É processado junto com os dois filhos, Nelson e Cristiano, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Como se vê, família unida que rouba unida. Em leva posterior, o martelo deve soar para o ex-deputado federal do PP de SC, João Pizzolatti, que tinha “negócios” com a família Meurer.

Auxilio-mansão
O famoso juiz carioca Marcelo Bretas e sua esposa, Simone, são marido e mulher e vivem sob o mesmo teto. Recebem auxílio-moradia duplo, de imorais R$ 4,37 mil cada um. Um escândalo, denuncia a mídia. Em SC há vários casos semelhantes e o silêncio é ensurdecedor.

Desobediência debochada
Apesar da determinação, em outubro, da ministra Cármen Lúcia, presidente do STF e do Conselho Nacional de Justiça, para que os tribunais enviassem, mês a mês, os dados organizados em um formato-padrão, com a discriminação de todos os ganhos e auxílios dos seus magistrados, 10 ainda não atenderam a ordem. Nenhum da região Sul (SC, RS e PR). O que vai acontecer? Provavelmente nada.

Mateus, os meus!
A base de apoio do governo Michel Temer têm 346 deputados. Assim, em tese, tem 38 votos a mais que o necessário para aprovar a reforma da Previdência. Os “a favor” que faltam, inclusive de SC, querem “algo mais”, digamos assim. Nada que honre seus currículos.

Vitória
O senador Dário Berger (MDB-SC) destaca como uma de suas principais vitórias em 2017 a aprovação de emenda constitucional de sua autoria que estende o teto de remuneração do serviço público, hoje de R$ 33.763, dos ministros do STF, às empresas estatais. Esse limite também se aplicaria, pela PEC, aos funcionários das empresas públicas e sociedades de economia mista que recebem recursos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios para pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral.

Sem razões
Um relatório do Tribunal de Contas da União sobre as irregularidades na UFSC, apontadas na Operação Ouvidos Moucos, da Polícia Federal, concluiu que não há mais razões, apesar de não inocentá-los, para que os seis professores suspeitos de desvios de verbas sigam afastados de suas atividades na instituição. O caso será levado a julgamento após o voto do relator do processo, ministro Walton Alencar Rodrigues.

Acessibilidade
Marcando uma “nova fase”, o Legislativo de Florianópolis realizou ontem a primeira sessão traduzida para a língua de sinais (Libras), transmitida pela TV Câmara. Estima-se em 18 mil pessoas a população de surdos na Capital catarinense.

Celebração
Soraya, Ayrton, Haidée, Danilo e Melina, filhos da galerista e gestora Marina Mosimann, hoje aposentada, organizaram amorosamente uma celebração no salão de festas do edifício Juarez Machado, em Joinville, para comemorar os 80 anos da matriarca, cujo aniversário transcorre dia 9. Marina é uma referência quando se fala em mercado de arte em SC. Entre 1976 e 1988, conduziu a Lascaux Galeria de Arte. A partir de 1989, passou a atuar como diretora de museus e, mais tarde, na presidência do Instituto Schwanke. Tem 40 anos dedicados à arte e cultura de SC.

Desprezo
A Udesc, como a UFSC, dá desprezível tratamento à literatura catarinense. A Universidade do Estado acaba de definir a lista de títulos do seu Vestibular de Inverno 2018, que será realizado em 10 de junho. De autores de SC só relacionou “Nós”, de Salim Miguel.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio