Após pausa de um ano, Fenarinha está de volta neste fim de semana

Tradicional festa será realizada no sítio Vó Rosa, no bairro Limeira Alta

Após pausa de um ano, Fenarinha está de volta neste fim de semana

Tradicional festa será realizada no sítio Vó Rosa, no bairro Limeira Alta

Após um hiato de um ano, a Festa Nacional da Farinha, a Fenarinha, retorna para a sua 20ª edição. A tradicional festa do pirão com linguiça do sítio Vó Rosa, no bairro Limeira Alta, inicia na noite de hoje e segue até domingo, 10, com diversas atrações musicais e gastronômicas.

Neste ano, a festa organizada pela família Dallago, ganha o reforço da Jasper Entretenimento, que é a responsável por toda a produção do evento. “A festa continua sendo da família Dallago, o preparo do pirão com linguiça é todo feito por eles, a diferença é que a Jasper está auxiliando na produção da festa, de toda a parte estrutural e logística”, explica o produtor, Jacson Jasper.

Durante toda a semana, os preparativos para a festa aconteceram em ritmo acelerado. A expectativa para este ano é atrair 15 mil pessoas para o sítio, número superior ao registrado na última edição da festa, em 2014, que foi de 10 mil pessoas.

Nesta edição, a novidade é que a festa ganha mais um dia. “Em 20 anos, é a primeira vez que a festa é realizada em três dias. Antes, era só na sexta e no sábado, agora, decidimos estender para domingo para aproveitarmos melhor toda a estrutura e dar mais uma opção de entretenimento à população”.

A estrutura da festa também foi ampliada. De acordo com Jasper, o sítio terá área coberta com mais de 2,5 mil metros quadrados, sistema de som e iluminação de última geração com painéis de led nas duas laterais do palco, além de área de almoço e janta com capacidade para mais de 800 pessoas sentadas.

Atrações

Os três dias de festa serão animados por várias atrações musicais. Hoje, a atração principal é o show com Ivonir Machado, previsto para iniciar às 2h da manhã. No sábado, o show é com o cantor Téo Abreu (da ex-dupla Téo e Edu) e no domingo, para encerrar a 20ª edição, será a vez do grupo Candieiro.

Atrações musicais devem atrair um grande público / Foto: Divulgação
Atrações musicais devem atrair um grande público / Foto: Divulgação

A entrada na festa é gratuita para o almoço. A entrada no sítio começa a ser cobrada a partir das 15 horas. Hoje e amanhã, o ingresso custa R$ 20. No domingo, custa R$ 10.


20 anos de história com o DNA da família Dallago

A história da Fenarinha está ligada à imigração italiana. No fim do século XIX, duas famílias provenientes da região de Trento, no norte da Itália – Dallago e Benvenutti – chegaram ao Brasil e se estabeleceram em Brusque, na região conhecida hoje por Limeira Alta.

As duas famílias iniciaram uma política de aliança familiar que era muito comum naquela época, resultando na concentração de terras e prestígio junto a população local. Hábeis na carpintaria, os membros das duas famílias logo se tornaram conhecidos na região pela qualidade na construção de engenhos, principalmente, os movidos pela força hidráulica e também pela produção de farinha de mandioca em seu próprio engenho.

Engenho de mais de 125 anos produz a farinha usada no prato principal da festa / Foto: Divulgação
Engenho de mais de 125 anos produz a farinha usada no prato principal da festa / Foto: Divulgação

A primeira metade do século XX, a região chegou a ter mais de 25 engenhos em funcionamento devido a grande demanda de farinha de mandioca, inclusive para exportação para a Europa. Por volta dos anos 1980, com a expansão industrial e o crescimento das cidades,esses engenhos familiares não puderam competir com as indústrias, o que ocasionou o êxodo rural.

Em 1992, filhos, netos e sobrinhos de dona Rosa Dallago – matriarca da família – se reuniram com o intuito de resgatarem a história da família e passaram a trabalhar no sítio que, posteriormente, recebeu o nome de Vó Rosa.

Após a restauração do engenho do sítio, Nelson Dallago teve a ideia de resgatar a fabricação de farinha de mandioca de forma artesanal e, dessa ideia, surgiu a primeira Fenarinha, em abril de 1995.

A maior atração da festa, desde sua origem, é o velho engenho tocado à água, que com mais de 125 anos ainda continua em funcionamento. Durante os dias que antecedem e durante a festa, o equipamento produz cerca de duas toneladas de farinha de mandioca e, como é aberto ao público, atrai curiosos de todas as idades para verem de perto como era a produção da farinha entre o fim do século XIX e início do século XX.


Programação

Sexta-feira, 8
19h – Abertura com missa
20h – Gaitaço Fandangueiro
23h – Zé Marcos e Gustavo
02h – Ivonir Machado

Sábado, 9
10h – Abertura do evento
12h – Rhuan & Andrey
15h – Tony e Flávio
20h – Cia da Vanera
23h – Fábio Dunk
02h – Téo Abreu

Domingo, 10
10h – Abertura do evento
12h – Adilson Scalvin
14h30 – Caio Cesar & Tabony
17h – Candieiro

Neste ano, estrutura terá capacidade para 800 pessoas sentadas / Divulgação
Neste ano, estrutura terá capacidade para 800 pessoas sentadas / Divulgação
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio