Conteúdo exclusivo para assinantes

Aprovados que não fizeram escolha de vaga no processo seletivo ACT 2018 não perdem direito ao cargo

Secretaria de Educação e Diretoria de Recursos Humanos explicam mudanças com determinação do Ministério Público

Aprovados que não fizeram escolha de vaga no processo seletivo ACT 2018 não perdem direito ao cargo

Secretaria de Educação e Diretoria de Recursos Humanos explicam mudanças com determinação do Ministério Público

Após diversas reclamações de candidatos do processo seletivo de admissão em caráter temporário (ACT) 2018 sobre os direitos à vaga e escolha de vaga para a rede municipal de ensino, O Município entrou em contato com a Secretaria de Educação de Brusque para buscar esclarecimentos.

A principal reclamação dos profissionais é de que, diferente de anos anteriores, profissionais que não compareceram na data e local estipulado para escolher as suas vagas, têm um prazo para irem até a prefeitura e garantirem a vaga, e não são mais excluídos do processo como nos anos anteriores.

De acordo com a Secretaria de Educação, por causa de uma determinação do Ministério Público, havia sido estipulado novo prazo, de 10 dias, para pedidos de recurso dos classificados no processo seletivo, o que anulou a homologação do resultado final emitida em dezembro. Assim, um novo resultado final será divulgado na próxima quarta-feira, 14, no site da Unifebe e no site da Prefeitura de Brusque.

“O classificado que não compareceu para fazer a escolha de sua vaga perde o direito de fazer esta escolha, mas não é possível perder a vaga sem que haja desistência ou perda de prazo antes da homologação do resultado final”, explica a diretora de Recursos Humanos, Anelise Ketzer.

O Ministério Público havia pedido um novo prazo para recursos porque os cadernos de prova não haviam sido divulgados como deveriam. Esta falha já foi corrigida e agora é necessária a homologação do novo resultado final.

Anteriormente, a escolha de vaga seria feita já juntamente com a entrada para admissão. Contudo, como o Ministério Público entendeu que houve irregularidade na não divulgação dos cadernos de prova, foi aberto novo prazo para recursos. Com isto, é necessário que seja publicado um novo resultado final e nova homologação. Desta forma, os classificados só perderão as vagas a que têm direito somente se desistirem ou não responderem no prazo de cinco dias úteis.

As escolhas de vagas foram realizadas na última segunda-feira, 5, para os cargos de servente, e nos dias 6 e 7 de fevereiro para professores, coordenadores e monitores. Quem não compareceu não poderá mais escolher sua vaga. “É uma situação nova para nós também, nunca houve um processo seletivo em que precisamos inserir um prazo fora do previsto”, declara Anelise.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio