Assac está sem sede há três anos e oito meses

Associação funciona provisoriamente na casa da presidente e patrimônio está espalhado

Assac está sem sede há três anos e oito meses

Associação funciona provisoriamente na casa da presidente e patrimônio está espalhado

A Associação Artístico Cultural de Brusque (Assac) completou 45 anos no mês passado, mas sem sede. Desde que teve de abandonar a sala que ocupava no antigo Senac, a entidade funciona provisoriamente na casa da presidente Eneida Schaefer e o seu patrimônio está distribuído em residências de colaboradores.

A Assac saiu da sala no Senac em novembro de 2013, ou seja, a entidade está sem sede há três anos e oito meses. No entanto, desde então a presidente e os associados têm tentado reverter a situação e pediram auxílio à prefeitura.

A última tentativa ocorreu no dia 23 de fevereiro, quando Eneida teve uma reunião com o prefeito Jonas Paegle. “Ele prometeu que iria ver se tinha um local disponível, mas nunca tivemos resposta, estamos aguardando ainda”, afirma.

A presidente diz que a entidade sempre contou com o apoio da prefeitura desde a sua fundação. A associação já funcionou no antigo prédio da prefeitura, no anfiteatro da Unifebe e na antiga sede do Senac, no Jardim Maluche.

A associação promove a cultura musical da cidade. Diversos jovens estudaram piano na Assac, por exemplo. Mas por falta de espaço, as atividades estão prejudicadas. Mensalidades não são cobradas desde 2014.

Eneida e outras integrantes da Assac voltaram a ganhar destaque na semana passada, pois, como noticiou O Município, participaram de um quadro do programa Caldeirão do Huck. A intenção da presidente é aproveitar o momento para buscar uma nova sede, seja com a prefeitura ou com a iniciativa privada, por meio de parceria.

Enquanto a entidade não tem uma sede, a entidade luta para continuar na ativa. “Estamos fazendo saraus a dois pianos, para manter viva a programação da Assac. Os saraus estão sendo realizados na minha casa, que está acolhendo provisoriamente o piano de cauda da Assac, até que seja conseguido um auditório para colocar este piano”, diz a presidente.

Idas e vindas
Eneida afirma que, após desocupar o prédio do Senac em 2013, o então prefeito Paulo Eccel se comprometeu a encontrar uma outra sala. Depois, houve a troca no comando da prefeitura.

Roberto Prudêncio Neto disse que cederia uma sala no Centro de Educação Infantil (CEI) Hilda Anna Eccel, que fica no antigo Senac. No entanto, houve uma nova troca na prefeitura e José Luiz Cunha, o Bóca, assumiu.

O CEI foi inaugurado em 2016 sem que uma sala fosse destinada à Assac. Esta foi a última resposta que a presidente Eneida teve da prefeitura, já que, até o momento, não foi contatada pela atual gestão sobre o tema.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio