Associação de kart de Brusque elabora projeto para construir nova pista na Vila Olímpica

Grupo contratou empresa de São Paulo para produzir o material e buscar recursos do Ministério do Esporte

Associação de kart de Brusque elabora projeto para construir nova pista na Vila Olímpica

Grupo contratou empresa de São Paulo para produzir o material e buscar recursos do Ministério do Esporte

Adquirido pela Prefeitura de Brusque em 2014, o terreno de 374.876,88 m² destinado para a construção da Vila Olímpica – complexo poliesportivo que abrigaria estruturas para diversas modalidades – somente agora está em fase de terraplanagem. Contudo, não faltam movimentações nos bastidores, principalmente por parte das associações esportivas brusquenses, para que as primeiras obras saiam do papel.

A Automóvel Kart Clube de Brusque (AKCB) foi a equipe que deu o maior passo até aqui. Nas últimas semanas, o grupo realizou tratativas com uma empresa de São Paulo responsável por elaborar projetos bem-sucedidos para a aprovação de recursos federais provindos do Ministério do Esporte, por meio da Lei de Incentivo ao Esporte.

Segundo o presidente da associação, Aknaton Camargo, a empresa tem bom histórico de aprovação de projetos. “Eles já conseguiram emplacar recursos para pistas, para parte de um autódromo na região Norte do país e um kartódromo em São Paulo”.

Resgate do kart
A velocidade sempre foi uma paixão dos brusquenses, e o kart é a iniciação de grande parte destes pilotos. Muitos deles seguiram carreira em competições nacionais e internacionais, mas a principal pista da cidade foi desativada desde 10 de fevereiro com a retomada do terreno por parte da família proprietária. A AKCB precisou vender a maior parte dos materiais para o kartódromo Speedway, em Balneário Camboriú, local em que inclusive os pilotos de Brusque estão utilizando para treinar.

Como alternativa para manter o esporte que cresceu muito, principalmente entre crianças e jovens, foi oferecido o espaço na Vila Olímpica, mas agora cabe às associações encontrarem recursos para construírem os espaços.

Se a AKCB tiver o projeto aprovado, terá ainda que contar com apoio de empresas para direcionarem parte do valor de Imposto de Renda à construção da pista. “A aprovação deve acontecer, mas a parte de captação dos valores é a mais difícil. Teremos que convencer da importância da pista. Sabemos que existem empresas grandes e capazes de contribuir na cidade, vamos ter que fazer uma campanha forte”, explica.

A obra, inclusive, não se atém apenas ao espaço de treinamentos e campeonatos do kart. Segundo Camargo, a ideia é fazer um espaço que pudesse ser utilizado também como pista para o ciclismo speed. “Entramos em contato com o ciclista Murilo Fischer que também aconselhou nesta parte. A intenção é que as duas modalidades possam utilizar o espaço”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio