Atividade do Grupo de Escoteiros reúne cerca de 140 crianças em Brusque

Participantes de Brusque e do grupo Padre Baron, de Itajaí, tiveram um dia diferente, no sábado, 15

Atividade do Grupo de Escoteiros reúne cerca de 140 crianças em Brusque

Participantes de Brusque e do grupo Padre Baron, de Itajaí, tiveram um dia diferente, no sábado, 15

Cerca de 140 crianças do Grupo de Escoteiro de Brusque e Itajaí participaram, durante todo o sábado, 15, da atividade JOTA (Jamboree on the air), na sede do grupo de Brusque. O encontro que ocorre anualmente, em outubro, é marcado por diversos jogos. Neste ano, houve uma comemoração maior, devido aos 100 anos de fundação do ramo Lobo.

O Jamboree no ar trata-se do maior evento da fraternidade escoteira, realizado por meio de estações de radioamador e também pela internet. Anualmente, cerca de um milhão de escoteiros de mais de 160 países participam da atividade.

Durante o dia, as crianças têm a oportunidade de se comunicar com membros de outros grupos de cidades, estados e até países diferentes. A coordenadora do ramo Lobo de Brusque, Malisa Fernanda Costa Bruns, conta que este ano os jogos foram divididos em quatro países diferentes, como Brasil, Angola, Moçambique e Portugal. Cada jogo é chamado de base, e foram constituídas pela troca de experiência com o radioamador; cartas que foram escritas para outros grupos de outros países; teatro e música.

O chefe de Lobinho e diretor financeiro do grupo de Brusque, Charliston Braz de Souza, ministrou a base do radioamador para as crianças. Para ele, é importante com que as crianças tenham esse contato com uma forma diferente de comunicação. “Hoje eles conhecem e sabem mexer bem com celulares e internet, mas o radioamador tem seu diferencial. Ele é mais antigo, mas é interessante pelas formas de uso”, comenta.

O chefe de sessão, Aislan Rodrigues, participa pelo segundo ano da atividade e afirma que é uma maneira de integração entre os grupos. “Eles fazem novas amizades e se coloca em prática o que o grupo tem como objetivo, dar independência e desenvolvimento para as crianças”, diz.

Além de aprenderem mais sobre o radioamador, as crianças ainda tiveram o conhecimento básico sobre o código morse. “É tudo diferente para eles. O radioamador, por exemplo, no primeiro momento pode parecer algo antigo, mas para eles desperta o interesse por ser diferente. Então essas coisas chamam a atenção dos lobinhos”, acrescenta Rodrigues.

Durante o dia, diversos jogos foram realizados para os participantes dos grupos de Escoteiros de Brusque e Itajaí / Foto: Miriany Farias
Durante o dia, diversos jogos foram realizados para os participantes dos grupos de Escoteiros de Brusque e Itajaí / Foto: Miriany Farias

O lobinho Arthur Bruns Sartori, 9 anos, do grupo de Brusque, participou pela primeira vez da atividade. Ele teve a experiência de se comunicar por meio do radioamador entre os colegas. “É muito legal, porque meu amigo está longe de mim, eu não sei onde está, quero localizar, então só aperto um botão, o chamo e posso conversar com ele”, descreve.

A atividade também deixou o pequeno Heitor Maues, 9, do grupo de Escoteiro Padre Baron, de Itajaí, entusiasmado. Para ele, o novo formato de comunicação apresentado é bastante diferente de um celular, por exemplo. “Mas é muito legal, adorei todos os jogos do dia”.

Emanuele Leite, 9, de Brusque, se encantou com os espetáculos de teatro e música, que foram apresentados e criados durante o dia. “É um dia muito divertido, diferente do que costumamos ter. Tem um monte de brincadeiras criativas”, analisa.

A atividade contou ainda com a participação de pais de apoio, que auxiliaram nos jogos e na preparação dos lanches.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio