Aumento nos preços faz venda de livros cair em Brusque

Volume total de livros vendidos nas 12 primeiras semanas de 2016 foi 9,9% menor do que em 2015

Aumento nos preços faz venda de livros cair em Brusque

Volume total de livros vendidos nas 12 primeiras semanas de 2016 foi 9,9% menor do que em 2015

Dados do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) mostram que no primeiro trimestre deste ano, a venda de publicações caiu significativamente em comparação com o mesmo período do ano passado. De acordo com a entidade, o volume total de livros vendidos nas 12 primeiras semanas de 2016 foi 9,9% menor do que em 2015, e o faturamento se manteve estável (-0,34%) em função do aumento dos preços.

Este cenário também é observado nas livrarias de Brusque. A auxiliar administrativo da Livraria Graf, Daiane Samara Amorim, afirma que a loja percebeu uma redução nas vendas de livros nos primeiros meses do ano. De acordo com ela, um dos fatores determinantes para esta redução é o reajuste do preço. “A queda nas vendas acontece, principalmente, por causa do custo do livro que está de 10% a 15% mais caro do que no ano passado. Isso pode ter influenciado”, diz.

Segundo ela, os livros mais procurados na livraria são os romances, principalmente best-sellers. “Temos bastante procura por livros que basearam filmes”, afirma.

A expectativa da livraria é recuperar as vendas no segundo semestre. “As datas comemorativas sempre ajudam. Vem aí o Dia dos Namorados, temos também o Dia das Crianças que as pessoas compram bastante livro e também as férias de julho, que o pessoal aproveita os livros para passar o tempo”.

Na Livraria Brusquense também houve uma queda na venda de livros, no entanto, a loja tentou reverter o cenário com uma promoção de títulos antigos. “Fizemos uma promoção dos livros que tínhamos em estoque por R$ 5, por isso não sentimos tanto a queda devido à promoção. Mas percebemos que até a procura pelos livros deu uma reduzida. Antes, recebíamos várias ligações perguntando sobre determinados títulos. Agora essa situação deu uma parada”, diz a administradora da livraria, Jaqueline Boos de Farias.

De acordo com ela, os livros mais vendidos estão na faixa de R$ 19,90 a R$ 29,90. “Realmente os livros estão um pouco mais caros do que no ano passado, por isso a procura para um pouco”.

A CRF Livraria e Papelaria, no bairro Santa Rita, é mais voltada para o público infantil, mas também sentiu a queda no movimento. “No começo do ano vendemos bem por causa da volta às aulas. Depois teve uma queda nas vendas”, diz a gerente da livraria, Katia Gonçalves Franco.

Segundo ela, alguns títulos tiveram um reajuste acima de 10%, o que contribuiu para a redução das vendas. “As pessoas gostam muito de dar livros para as crianças, mas com essa situação econômica e o preço dos livros, que estão mais caros, a procura caiu um pouco. Mas sempre é uma opção, acredito que no segundo semestre as coisas vão melhorar”.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio