Azambuja aguarda credenciamento do SUS para realizar cirurgias oncológicas

Mesmo sem habilitação, hospital já realizou mais de 30 procedimentos em 2015

Azambuja aguarda credenciamento do SUS para realizar cirurgias oncológicas

Mesmo sem habilitação, hospital já realizou mais de 30 procedimentos em 2015

Mesmo sem credenciamento para realizar cirurgias oncológicas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Azambuja já realizou somente neste ano mais de 30 procedimentos para pacientes da rede pública. Atualmente, a direção da unidade, que já encaminhou a documentação à Secretaria de Estado da Saúde, aguarda a liberação do governo federal para, de fato, realizar e ser remunerado pelas cirurgias em pacientes com câncer.

O administrador do hospital, Fabiano Amorim, explica que em julho de 2014 o órgão de saúde estadual fez vistoria no local. No entanto, ele diz que a burocracia é grande, mas que espera que até dezembro deste ano o hospital consiga o credenciamento e possa fazer os procedimentos oncológicos. “Hoje somos um braço do Hospital Santo Antônio de Blumenau, que não está conseguindo absorver o volume da região, e por isso acabamos fazendo sem a habilitação do SUS. O paciente acaba caindo no plantão e não podemos mandá-lo embora, então operamos, mesmo sem ser remunerados”, frisa.

Amorim diz que a partir do diagnóstico de câncer o paciente precisa realizar a operação em 60 dias, já que, segundo ele, 90% dos casos de cura são cirúrgicos. Em geral, o hospital faz cirurgias oncológicas principalmente de pulmão, intestino, estômago e ginecologia obstetrícia. O administrador do hospital aponta que estatisticamente a região comporta 1 milhão 334 mil pacientes e que são diagnosticados 1,6 mil novos casos de câncer por ano, exceto de pele. “O Santo Antônio está fazendo 1.050, quer dizer que 500 pessoas não estão sendo operadas por ano”.

Amorim também conta que em março deste ano um paciente do SUS que estava na fila desde outubro do ano passado passou por uma operação gástrica no hospital. No entanto, ele diz que o diagnóstico já tinha passado de 60 dias (período de maior chance de cura). O administrador também ressalta que assim que tiver o credenciamento, irá ampliar os leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Atualmente o hospital possui sete, mas tem estrutura física para dez.
20 pacientes novos por mês

Os pacientes da rede pública de Brusque atualmente são encaminhados aos hospitais Santo Antônio e Santa Isabel, em Blumenau, que são referência em oncologia para a cidade. Em média, por mês, segundo a secretária de Saúde do município, Ivonir Zanatta Webster, a Crespa, são encaminhados 20 novos pacientes para avaliação no serviço de referência.

O Santo Antônio realiza a maior parte das cirurgias em oncologia para toda a região da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi) e o Hospital Santa Isabel dá apoio ao titular, da mesma forma que o Azambuja atuará em caso de habilitação como hospital de apoio para os municípios da Ammvi. “Há muita demanda nestes locais e o Azambuja será um braço destes hospitais de referência, por isso estamos buscando o credenciamento, mas a parte burocrática não depende de nós”.

Crespa frisa que sempre batalhou para tornar o Azambuja referência em cirurgias oncológicas e que a partir do momento que a unidade puder fazer os procedimentos vai liberar a fila de espera. “O hospital deixa de ser geral e passa a ser porte 1. Hoje já atende muito o SUS e com isso dará mais agilidade”, afirma.

A secretária ainda diz que a prefeitura sabe que o Azambuja acaba fazendo algumas cirurgias de emergência, mas ela espera o credenciamento da unidade, o que vai gerar o reconhecimento. “Estamos buscando e será uma vitória pra gente e para os nossos pacientes”, ressalta. A secretária acredita que até o fim deste ano, ou no começo de 2016, o hospital terá o credenciamento do SUS.

Quanto aos números de pacientes operados por mês em Blumenau, Crespa diz que está sendo realizado um estudo pela Secretaria de Estado da Saúde, visto que toda a rede oncológica de Santa Catarina está sendo revisada.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio