Baixa representatividade na Alesc se repete

A exemplo de 2010, Brusque só elegeu um deputado estadual e nenhum federal

Baixa representatividade na Alesc se repete

A exemplo de 2010, Brusque só elegeu um deputado estadual e nenhum federal

O deputado estadual reeleito Serafim Venzon (PSDB) será o único representante de Brusque na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). O cenário é idêntico ao de 2010, quando apenas ele conquistou uma vaga no parlamento, com Ciro Roza e Dagomar Carneiro ficando como suplentes. Outra cena que se repetiu foi na disputa à Câmara dos Deputados: mais uma vez, a cidade não elegeu nenhum representante.

A dispersão de votos que ocorre em Brusque foi levantada no Legislativo pelo vereador Felipe Belotto (PT), que lamentou o fato de que a cidade, com seus 81 mil eleitores, descontando-se as abstenções, tinha condições de eleger pelo menos um deputado federal, mas não chegou nem perto.

Para deputado federal, por exemplo, Brusque tinha dois candidatos: Marli Leandro (PT) e Moacir Giraldi (PTdoB), e ambos fizeram em torno de 11 mil votos no município. Os dois até foram os candidatos mais votados, com Giraldi liderando, no entanto, outros 116 candidatos a deputado federal foram votados pelos brusquenses.

O total de votos desta eleição em Brusque, para a Câmara Federal, foi de 69.887. Desses, 22.066 ficaram para candidatos locais, o que representa 31,5% do eleitorado. No quadro de deputados federais, o PSD, com três nomes entre os mais votados no município, liderou a preferência no eleitorado brusquense.

Em 2010, Brusque teve participação ainda menor. O candidato a deputado federal pelo PT, Valmir Ludvig, ficou em segundo lugar em número de votos, perdendo para Paulo Bornhausen, que na época estava no DEM.
Na Assembleia, cenário parecido

Nesta eleição, os votos dos brusquenses para o cargo de deputado estadual foram divididos entre 298 candidatos. O total de votos foi de 69.887, sendo que 34.212 ficaram para candidatos locais, o que representa apenas 48,9% do eleitorado.

Outro dado é que Brusque lançou seis candidatos a deputado estadual, mas apenas quatro estão entre os dez mais votados no município. A modalidade de voto na legenda – quando os votos vão para o partido, em vez de um candidato específico – teve bastante adeptos no município, inclusive tendo mais votos registrados do que boa parte dos candidatos (confira na tabela, nesta pagina).

Em relação aos candidatos a deputado estadual, a cidade teve resultado menor do que em 2010. Na época, dos dez primeiros colocados, seis tinham domicílio eleitoral em Brusque. Ciro Roza (DEM, à época) foi o mais votado, com 16,5 mil votos. Serafim Venzon (PSDB), único eleito naquele ano, fez pouco mais de 10 mil votos, seguido de Danilo Rezini (PPS), Dagomar Carneiro, Felipe Belotto (PT) e Edson Rubem Muller, o Pipoca (PP).
Preferência pela direita

Dos dez candidatos mais votados em Brusque para deputado estadual, oito estão alinhados a partidos de direita. Apenas o candidato Vanderlei de Oliveira (PT de Blumenau) e Marcelo Werner (PCdoB de Itajaí) estão ligados a partidos da esquerda.

Para a Assembleia, o PSD também lidera a preferência do eleitorado brusquense: dos dez mais votados, três pertencem à sigla. Na sequência, aparecem dois nomes do PMDB. Na mesma linha, nove dos dez mais votados fazem parte da base de apoio ao governador Raimundo Colombo.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio