Beneficente tem interesse em adquirir área pertencente à Renaux

Sociedade apresentou duas propostas à massa falida, no entanto, deverá aguardar o leilão para avançar as negociações

Beneficente tem interesse em adquirir área pertencente à Renaux

Sociedade apresentou duas propostas à massa falida, no entanto, deverá aguardar o leilão para avançar as negociações

A Sociedade Beneficente de Brusque apresentou proposta para a aquisição de uma área pertencente à massa falida da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux. A intenção do clube é utilizar o espaço como estacionamento, já que o terreno do próprio clube e a avenida Primeiro de Maio já não são suficientes para atender a demanda durante os eventos.

O advogado do Beneficente, Heins Lombardi, destaca que foram apresentadas ao processo de falência da fábrica duas propostas: a primeira é a aquisição de parte da área que envolve a antiga associação dos trabalhadores, que hoje já é utilizada para estacionamento durante os eventos.

A outra, e que mais interessa ao clube, é a aquisição de parte da área que fica em frente ao Beneficente, do outro lado da vala da avenida Primeiro de Maio, que, inclusive, é área de preservação permanente. “Fizemos a proposta de aquisição dessas áreas, que seriam desmembradas de uma área maior”, destaca.

O clube encaminhou as propostas para a análise do Judiciário, que por sua vez, encaminhou para os sindicatos que representam os trabalhadores e o Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC).

Lombardi explica que tanto os sindicatos quanto o Ministério Público se manifestaram contrários à venda das áreas neste momento, porque poderia interferir no leilão dos bens da fábrica, marcado para o dia 3 de maio. “Eu entendo que não é tão prejudicial, porque queremos apenas uma parte das áreas, mas o juiz despachou que aguardássemos o leilão para apresentar as propostas. Assim que sair o edital do leilão vamos reformular a proposta de aquisição parcial desses imóveis”, diz.

O administrador da massa falida da Fábrica Renaux, Gilson Sgrott, tem conhecimento do interesse do Beneficente e determinou que seja realizado um laudo técnico sobre o valor de mercado das áreas pretendidas. “A proposta do clube é de R$ 500 mil para pagamento em 60 parcelas, por isso, pedi uma avaliação do valor. Considerando a existência do leilão para o mês de maio, vamos aguardar para ver se teremos propostas, se não tiver, voltaremos a conversar sobre o assunto”, afirma.

O leilão
O leilão dos bens imóveis da Fábrica de Tecidos Carlos Renaux está marcado para o dia 3 de maio, com primeira chamada às 13h e a segunda às 13h30. A avaliação de todo o patrimônio da empresa foi concluída no fim de 2015. De acordo com o administrador da massa falida, ele está avaliado em R$ 72,3 milhões. Fazem parte do patrimônio da empresa a unidade onde funcionava a tecelagem e mais um terreno localizado atrás e toda a unidade da sede – incluindo a Villa Ida.

Leilão de bens
O leilão de bens da fábrica ocorreu em agosto do ano passado e totalizou R$ 67,6 mil arrematados de um total de R$ 70,6 milhões de bens disponíveis no leilão.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio