Botuverá e Brusque se unem para buscar recursos federais para barragem

Autoridades serão acompanhadas do governador de SC em reuniões com Ministério da Integração e Casa Civil

Botuverá e Brusque se unem para buscar recursos federais para barragem

Autoridades serão acompanhadas do governador de SC em reuniões com Ministério da Integração e Casa Civil

O vice-prefeito de Brusque, Ari Vequi, o prefeito de Botuverá, José Luiz Colombi, o Nene, e o governador de Santa Catarina, Eduardo Pinho Moreira, se reúnem com o ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua Andrade, e com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha nesta quinta-feira, 19, para obter novos recursos para a construção da barragem no rio Itajaí-Mirim em Botuverá. A intenção é transferir R$ 90 milhões de uma obra de elevação do solo que seria realizada no rio em Itajaí, que, de acordo com Colombi, é orçada em mais de R$ 300 milhões.

Havia mais de R$ 90 milhões garantidos em financiamento com o Banco do Brasil para a execução da barragem de Botuverá, mas eles acabaram alocados em outras obras do governo do estado devido ao atraso na obtenção do licenciamento ambiental junto ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

A verba foi dividida para acelerar a duplicação da rodovia Antônio Heil e também em obras da rodovia Jorge Lacerda, em Blumenau. No entanto, com a obtenção de todo o licenciamento necessário, foi iniciada a busca por novos recursos. Os valores buscados são da Secretaria de Infraestrutura Hídrica, do Ministério da Integração.

O prefeito de Botuverá deverá explicar aos ministros que a barragem é uma obra naturalmente mais importante do que a de Itajaí, porque o fluxo das águas vão em direção ao litoral. “Estamos pedindo esta transferência e esperamos conseguir. A obra não é apenas para Botuverá, é importantíssima para a região na prevenção de enchentes. Estamos batalhando juntos para conseguirmos”, comenta.

Caso o ministro da Integração Nacional concorde com a transferência dos R$ 90 milhões entre as obras, o próximo passo é com a Casa Civil, para oficializar a alocação dos recursos com o decreto presidencial. Só então os recursos poderão ser utilizados, e Vequi prevê que a obra seja licitada após o período eleitoral.

“No momento, não temos os recursos necessários. O projeto da barragem gira em torno de R$ 108 milhões. Caso o recurso seja obtido, o estado de Santa Catarina entraria com R$ 18 milhões, aí poderíamos lançar o processo licitatório”, explica Vequi.

A audiência de Colombi, Vequi e Pinho Moreira com o ministro Antônio de Pádua Andrade será realizada às 10h desta quinta-feira, 19. Uma hora depois, o trio se reúne com o ministro Eliseu Padilha.

Outros projetos
Nene Colombi chegou mais cedo em Brasília do que Ari Vequi e Eduardo Pinho Moreira para tratar de outros assuntos relacionados a Botuverá. O vice-prefeito de Brusque e o governador do estado chegaram na capital brasileira apenas nesta quarta-feira, 18.

Entre os temas, está o início de um projeto de financiamento para a construção de uma ponte que irá compôr um contorno viário de Botuverá, para diminuir o trânsito intenso do Centro. O prefeito também se reunirá com o ICMBio para discutir projeto do contorno viário, uma vez que ele deverá passar ou ficar próximo ao Parque Nacional da Serra do Itajaí, administrado pelo instituto.

Outra questão em pauta é a habitação. O município não é contemplado no programa Minha Casa, Minha Vida, e busca a construção de algumas unidades.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio