Bruscão fica no empate com Marcílio Dias e terá que vencer fora para ficar com o título

Equipes não passaram de um 0 a 0 em partida disputada na noite desta quarta-feira, 2, no estádio Hermann Aichinger, em Ibirama

Bruscão fica no empate com Marcílio Dias e terá que vencer fora para ficar com o título

Equipes não passaram de um 0 a 0 em partida disputada na noite desta quarta-feira, 2, no estádio Hermann Aichinger, em Ibirama

O Brusque não conseguiu passar de um empate sem gols com o Marcílio Dias na noite desta quarta-feira, 2, e terá que vencer em Itajaí se quiser ficar com o título do Campeonato Catarinense da Divisão Especial. Os times voltam a se enfrentar sábado (5), às 19h30, no estádio Doutor Hercílio Luz. Nova igualdade garante o título da competição ao Marinheiro.

O jogo
A expectativa era de um jogo movimentado, como foi as outras quatro partidas entre as equipes na Divisão Especial. Mas os poucos torcedores que foram ao estádio Hermann Aichinger, em Ibirama, viram um clássico com raras oportunidades de gols na primeira etapa.

O Marinheiro mostrou o cartão de visitas aos três minutos, quando Tony mandou uma pancada de fora da área e quase surpreendeu Fabão. A bola passou raspando à trave. O Brusque só chegou aos oito. João Paulo cruzou, mas a bola desviou e saiu.

Aos dez, o técnico Paulo Foiani foi obrigado a fazer a primeira substituição no Marinheiro. Saiu Plínio, machucado, para a entrada de Duda Santos. O Brusque mudou pelo mesmo motivo dez minutos depois. Saiu Negueti para a entrada de Leandro Mancha, que fez seu segundo jogo na competição.

O time quadricolor insistia nas bolas paradas. A maioria em cobranças de falta de Serginho, oriundas após várias infrações de Duda com a complacência do árbitro Ronan Marques da Rosa. O Marcílio Dias voltou a chegar à meta de Fabão aos 25 minutos com Kapa, mas a bola foi pela linha de fundo. Depois, Tardelli invadiu a área, mas chutou por cima.

O Bruscão chegava pouco ao gol do Marinheiro. O artilheiro Eydison, apagado, pouco finalizava. Mesmo assim, foi com o atacante a primeira grande chance do Bruscão na etapa inicial. O jogador aproveitou excelente lançamento de Serginho, mas Eduardo fez boa defesa e evitou que o Marinheiro sofresse o primeiro.

O time melhorou após a jogada e teve o seu melhor momento na etapa inicial. Logo após o lance de Eydison, João Paulo invadiu a área e cruzou, a bola desviou em Kapa e quase surpreendeu o goleiro Eduardo, que se esticou todo e mandou para escanteio. Luís André também perdeu boa oportunidade no primeiro tempo, mas mandou na rede pelo lado de fora.

Brusque pressiona
O segundo tempo começou com o Bruscão pressionando mais o adversário, mas a equipe não foi eficiente nas finalizações e passou a dar espaços para o Marcílio Dias no contra-ataque. A primeira chance da etapa complementa foi aos cinco minutos com Luís André. Ele aproveitou rebote de falta cobrada por Eydison, mas mandou por cima. Ao sete, João Paulo apareceu livre, mas a arbitragem anotou impedimento.

Na pressão, Leandro Mancha desviou de cabeça após cobrança de escanteio e Eduardo salvou. Depois, em novo escanteio, foi Cidinho que testou forte, de fora da área. A bola bateu no travessão da meta marcilista. O Marreco passou a envolver o adversário em jogadas de velocidade, mas as principais oportunidades continuavam aparecendo em bolas paradas. Em mais um escanteio, Eduardo não achou nada, a bola passou por Cleyton e João Paulo. O último chegou a encostar na bola, mas não conseguiu fazer o desvio.

Aos 25, Cidinho teve a bola do jogo em seus pés. Em outro bom lançamento de Serginho, o jogador avançou livre de marcação e finalizou muito próximo à trave de Eduardo. O Marcílio Dias também perdeu a oportunidade de sair com a vitória pouco depois. Kapa apareceu sozinho pela esquerda, mas Fabão fez grande defesa e evitou o gol do Marinheiro após finalização.

O jogo ganhou intensidade, com os dois times com chances de marcar. Em bola desviada de cabeça por João Paulo, desta vez foi Eduardo que se esticou todo para salvar o gol. Pouco depois do lance, o lateral deu lugar a Saraiva.

Aos 33, o Brusque viu Tony subir mais que a zaga e cabecear com perigo por cima do gol de Fabão. Nos dez últimos minutos de partida, o quadricolor praticamente ficou com um a menos. Logo após Rogério Perrô fazer a última substituição, trocou Luís André por Marcelo Quilder, Fabinho sentiu a coxa e ficou no sacrifício em campo até o árbitro Ronan Marques da Rosa decretar o fim da partida exatamente aos 45 minutos da etapa complementar.

Para a decisão de sábado, o técnico Rogério Perrô não poderá contar com o volante Luís André, que recebeu o terceiro cartão amarelo. Santos e Junai voltam de suspensão.
 
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio