Brusque dá baile no Figueirense e conquista vitória no returno

Time encosta com o Inter de Lages e segue a frente de Metropolitano na luta por vaga na série D

Brusque dá baile no Figueirense e conquista vitória no returno

Time encosta com o Inter de Lages e segue a frente de Metropolitano na luta por vaga na série D

O Bruscão conquistou uma grande vitória para cima do Figueirense na primeira rodada do returno do Campeonato Catarinense. Com gols de Cleyton e Assis, o time derrotou a equipe da capital e ainda foi superior durante os dois tempos. Os visitantes descontaram com Carlos Alberto, mas já era tarde demais. O quadricolor encosta em pontos somados com o Inter de Lages e segue 4 pontos na frente do Metropolitano, fortalecido na luta pela vaga da Série D.

Gol e lesão

Como de praxe neste Catarinão, o Brusque envolveu o adversário. Dessa vez, no entanto, o time teve o que faltou em muitas partidas: Qualidade para finalizar. A equipe foi martelando o Figueirense, algoz na primeira rodada do turno, até conseguir o que queria. Mas até lá, o caminho foi árduo, inclusivo com gol impedido de Eydison em menos de dois minutos do segundo tempo.

As jogadas saíram principalmente dos pés de Paulinho. O meia, que vem se destacando nas últimas rodadas, fez valer o status de titular do time. Driblou, deu o famoso balãozinho nos adversários e assustou o goleiro Gatito Fernandez em mais de uma oportunidade. Assis ficou apagado no primeiro tempo, e errou muitas jogadas.

Eis que Paulinho foi, mais uma vez, decisivo na bola parada. Até então, Assis estava cobrando os escanteios, mas o meia chamou a responsabilidade para si. Ele bateu no veneno e a bola parou na cabeça do zagueiro Cleyton, que finalizou com precisão, no cantinho. A torcida soltou o grito no Augusto Bauer enquanto a equipe comemorava o tento.

Dois minutos depois, contudo, uma notícia ruim: Eydison caiu sentindo dores. Sem atletas no ataque, Ovelha colocou Aélson na lateral-esquerda, Adãozinho no meio e avançou Assis para o ataque. O Brusque teve as melhores chances nas boas finalizações de Paulinho e também na raça de Ruan, que por pouco não ampliaram o placar. Gatito Fernandez salvou bola que tinha endereço certo enviada pelo camisa 11. A torcida aplaudiu muito o time com o apito final do primeiro tempo.

Glória, sufoco e três pontos

O segundo tempo pareceu durar mais do que só os 50 minutos jogados. A luta do Brusque para conquistar os três pontos foi tão grande que pareceram horas em campo. No início, o time foi engolido pelo Figueirense. O alvinegro, contudo, tinha dificuldade imensa para finalizar e penetrar na área protegida pelos xerifões Maurício e Cleyton, em mais uma partida impecável.

O gol que aliviou um pouco a pressão que o time quadricolor sofria veio de uma jogada bem elaborada que resultou em um dos gols mais bonitos do campeonato. Paulinho recebeu bola difícil na esquerda, mas dominou com estilo e deu passe para Ruan. O volante deu um passe perfeito para Assis, que, com a tranquilidade de um camisa 10, tirou de Gatito e empurrou para as redes. O gol, aos 25 minutos do segundo tempo, coroou a impecável atuação de Paulinho na partida.

Na sequência, o Figueira pressionou. Célio Amorim passou a ser muito criticado na partida, vendo faltas questionáveis, quase todas à favor do Figueirense. O alvinegro, contudo, só conseguiu descontar aos 42 do segundo tempo. Em cobrança de escanteio, Carlos Alberto marcou o gol dele, em sua estreia pelo time no ano de 2016. O Bruscão foi mais agressivo a partir daí em busca do terceiro gol, que quase saiu com Ruan e Carlos Alberto. O placar, contudo, fechou em 2 a 1 e quando Célio Amorim apitou o final da partida, a torcida, aflita até então, extravasou no Augusto Bauer e comemorou a vitória para cima do time da capital.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio