Brusque decepciona e apenas empata com o Hercílio Luz em casa

Equipe ficou no 0 a 0 pela segunda rodada do Campeonato Catarinense de 2018

Brusque decepciona e apenas empata com o Hercílio Luz em casa

Equipe ficou no 0 a 0 pela segunda rodada do Campeonato Catarinense de 2018

O cenário para a primeira vitória do Brusque no Catarinense estava armado. Neste domingo, 21, a torcida compareceu em bom número, e dentro de campo o técnico Antonio Picoli pôde contar com Clébson em campo desde o apito inicial, além de outros reforços. Porém, o time não encaixou e saiu com o gosto amargo do 0 a 0.

Num campeonato tão disputado quanto o Catarinão, empatar dentro de casa nunca é bom negócio. Empatar na sua casa contra um time que acaba de subir é ainda pior, pensando na briga pelo topo da classificação.

O Brusque tentou, martelou e até teve bons momentos, principalmente nos primeiros 20 minutos da etapa inicial. Mas faltou organização, parece que o time não encaixou e o técnico Picoli ainda não conseguiu imprimir a sua marca.

A maior expectativa da torcida era em relação aos reforços. França, por exemplo, não havia estreado contra o JEC. Atuou no segundo tempo sem grande destaque. Clébson fez bons lances, mas acabou substituído.

Domínio inicial
Em casa e com o apoio da torcida, o Bruscão se impôs. Foi para cima do Hercílio Luz e nos primeiros 20 minutos foi o senhor do jogo.

No entanto, o quadricolor não soube converter a superioridade em gols. O time trocou passes envolventes na intermediária com Clébson e Jean Dias, porém, faltou caprichar naquele último passe para a finalização.

Embora a pelota chegasse com frequência para Jean Dias e Clébson, foi o volante Ruan o responsável pela primeira finalização de perigo. Ele acreditou e acertou um petardo de longe, que passou ao lado do goleiro Martins.

Ruan apareceu como elemento surpresa mais uma vez, mas a bola foi por cima. Jean Dias já havia feito bom jogo na estreia contra o Joinville e voltou a ter boa atuação no meio de campo.

Ciente de que o Bruscão sairia para o ataque no começo, o Hercílio Luz se segurou, e nos últimos 25 minutos passou a atacar com mais afinco. Bruninho movimentou-se bastante e incomodou a zaga quadricolor.

Lima, atacante mais conhecido por ter marcado época do Joinville, incomodou como referência no ataque. Nos minutos finais, já era o Brusque quem se defendia e torcia pelo apito final, e o Hercílio pressionava.

Equilíbrio
Na volta dos vestiários Picoli resolveu mexer e pôs Dakson no lugar de Clébson, e França no de Adãozinho. As mexidas surtiram pouco efeito prático, e ele usou a terceira alteração para colocar Rafinha e tirar Ruan.

Rafinha fez boa partida e deve ter oportunidades na equipe titular. Ele puxou os contra-ataques e levou perigo à defesa do Hercílio Luz.

Foi de Rafinha pelo menos um bom passe para Edu finalizar. O atacante é o maior “sofredor” no esquema montado por Picoli.

Sozinho como centroavante e sem o meio de campo se encontrar, Edu sobrevive com poucas bolas. Finaliza como dá e quando chega alguma coisa. No segundo tempo, teve mais chances e, de fato, quase marcou.

O Hercílio Luz continuou a levar perigo sobretudo com o ágil Bruninho e Jackson. Lima acabou saindo para a entrada de Lucão.

A etapa complementar teve momentos de domínio alternado, e embora tenha lutado e pressionado, no cômputo geral, o Bruscão não conseguiu se impor sobre o Hercílio.

Na próxima rodada do Bruscão tem uma tarefa difícil contra o Figueirense. Os próximos dias devem ser de pressão e questionamentos para Picoli.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio