Conteúdo exclusivo para assinantes

Brusque deve ter novo recorde de candidaturas em 2018

Município pode ter mais de 10 candidatos, a se confirmarem as pré-candidaturas anunciadas

Brusque deve ter novo recorde de candidaturas em 2018

Município pode ter mais de 10 candidatos, a se confirmarem as pré-candidaturas anunciadas

Considerando-se todas as pré-candidaturas já anunciadas ou em análise para concorrer aos cargos de deputado estadual e federal em 2018, o município de Brusque poderá bater o recorde da última eleição geral em número de candidatos.

Ao todo, são 14 nomes ventilados para concorrer, divididos entre os cargos de deputado federal e estadual. Na eleição de 2016, foram sete candidatos, sendo cinco a deputado estadual e dois a federal.

O Município consultou os líderes dos partidos com representação na Câmara de vereadores, assim como aqueles que já anunciaram pré-candidaturas, para saber quais são os nomes cotados e a que cargos eles pretendem concorrer.

Na lista, há vereadores, membros do poder Executivo e outros que já ocuparam cargos em ambos os poderes.

PMDB

Ari vequi, vice-prefeito, será o candidato do partido em Brusque, caso seja deliberado pelo lançamento da candidatura. Segundo ele, não há outro nome em vista.

O partido ainda não decidiu se haverá candidatura, pois isso depende das composições que ocorrerão em nível municipal e estadual. “Se tiver um nome, será o meu, seja para federal ou para estadual”.

O que o partido decidiu, no entanto, é que, caso alguém seja lançado para concorrer, será para apenas um dos cargos legislativos em disputa.

PT

O nome do PT de Brusque para a disputa já está definido: trata-se do ex-prefeito Paulo Eccel, que recentemente teve restabelecidos os seus direitos políticos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Na semana passada houve uma reunião do diretório municipal, na qual foi estipulado um calendário de consultas às bases nos bairros da cidade. Nessa agenda de consultas, o partido decidirá qual a melhor opção, se a candidatura de Eccel a deputado federal ou a deputado estadual.

Conforme Cedenir Simon, presidente do PT de Brusque, Eccel deixou a possibilidade em aberto e decidiu respeitar a agenda de consultas, para se manifestar após ela ser encerrada.

O presidente do PT calcula que até abril de 2018 haja uma decisão final sobre a candidatura. Ele ressalta que será escolhido o melhor cenário para privilegiar o candidato. “A prioridade é eleger o Paulo”.

PPS

O PPS foi um dos primeiros partidos a definir as pré-candidaturas e anunciá-las oficialmente.

O partido apostará no empresário Michel Belli para concorrer ao cargo de deputado federal, e do ex-presidente da Câmara de Brusque, Guilherme Marchewsky, para postular uma vaga na Assembleia Legislativa.

Vereador mais votado da Legislatura 2013-2016, Marchewsky deixou o PMDB, partido pelo qual foi eleito em 2015, e chegou a anunciar que deixaria também a vida política, mas retornou este ano pelo PPS.

DEM

O Democratas confirma que terá candidaturas nos dois cargos de deputados, tanto federal quanto estadual. O presidente da sigla, Jones Bosio, afirma que ainda é cedo para decidir os nomes, mas, além do seu, citou também o ex-vereador Moacir Giraldi, o suplente Waldir da Silva Neto e o vereador Celso Emydio da Silva.

O presidente do partido diz que é mais provável que a sua candidatura seja a deputado federal, com a vaga para concorrer à Assembleia Legislativa ficando para outro correligionário.

Ele informa que o partido já consegue projetar as duas candidaturas porque decidiu, no âmbito estadual, não aguardar a indefinição da reforma política e optar por, antecipadamente, concorrer com chapa pura.

O partido trabalha, no momento, para trazer de volta ao DEM nomes do antigo PFL, como o deputado estadual João Paulo Kleinubing e o deputado federal Cesar Souza, este último mais difícil.

A decisão final sobre as candidaturas, segundo Bosio, passará pelo grupo político, que terá acesso a pesquisas internas.

PSD

Conforme o vereador Ivan Martins, o partido ainda não tomou decisão definitiva sobre candidaturas, o que irá fazer somente em fevereiro de 2018.

Ele adianta, porém, que se houver candidatura, será somente a deputado estadual. O presidente do PSD, contudo, afirma que, por ora, ainda não pode revelar os nomes cotados para assumir a empreitada.

PSB

O PSB de Brusque, que governa o município, deve apostar no nome do ex-prefeito Ciro Roza para concorrer a deputado estadual.

No entanto, isso depende da viabilidade jurídica da sua candidatura, já que, nas últimas duas eleições nas quais colocou seu nome à disposição, Roza foi impugnado judicialmente.

O presidente do partido, Dagomar Carneiro, citou também nomes como o do secretário de Educação José Zancanaro, o vereador Gerson Morelli, o Keka, o seu próprio nome e o de Ernani Godoy, do Canal X. A candidatura do prefeito Jonas Paegle, por sua vez, é dada como descartada.

PRP

O PRP de Brusque é outro partido que planeja lançar duas candidaturas. Os nomes escolhidos são dos dois vereadores da sigla: Paulo Sestrem e Cleiton Bittelbrunn.

O primeiro é pré-candidato a deputado federal, e o segundo é pré-candidato a deputado estadual. O anúncio oficial foi feito ainda em outubro, e faz parte dos planos nacionais do partido de aumentar sua representatividade no parlamento.

PP

Jean Pirola, presidente da Câmara de Brusque, deve ser o candidato a deputado estadual pelo PP local, que não deve ter candidato a deputado federal. Já foram definidos pela Executiva os 22 candidatos a deputado estadual do PP catarinense, e o nome de Pirola está entre eles.

No PP, existe uma divisão por microrregiões, cujo nome do presidente da Câmara é o escolhido para o Vale do Itajaí.

Pirola afirma, ainda, que no caso de não haver a candidatura a deputado federal, o partido fechou questão em não apoiar candidatos de outras regiões, mas somente do Vale, mesmo que de partidos diferentes. Isso, com objetivo de evitar que votos de Brusque se dissipem para candidatos forasteiros.

PSDB

O deputado estadual Serafim Venzon, único representante do município na Assembleia Legislativa, informa que deve concorrer à reeleição em 2018.

Ele afirma, porém, que isso depende da definição do partido para o governo do estado, no qual deve ser acertada a candidatura de Paulo Bauer na cabeça da chapa.

Venzon disse que, confirmando-se a candidatura própria, irá apresentar seu nome para concorrer na chapa como candidato a vice-governador ou ao Senado. Ele afirma, porém, que são vagas mais restritas, com chances menores de ter seu nome chancelado.

Patriotas

O antigo PEN é outro partido com representação na Câmara de Vereadores que deverá lançar um candidato a deputado estadual.

Segundo o vereador Marcos Deichmann, a sigla está analisando o cenário eleitoral para bater o martelo sobre a candidatura.

Seu nome está na mesa como pré-candidato, assim como o do ex-vereador de Guabiruba, Osmar Vicentini, o qual deixou o PRB e foi para o Patriotas, levando consigo toda a diretoria do partido. Para deputado federal ainda está sendo avaliada a possibilidade de candidatura.

PPL

Um dos menores partidos de Brusque, o PPL não é novato em candidaturas. Concorreu em 2014 com seu presidente, Durval Pereira, que pleiteou o cargo de deputado estadual, o que deverá fazer novamente neste ano.

Em reunião realizada na metade do mês, na capital, a direção estadual do partido decidiu avalizar o lançamento de uma ou duas candidaturas para a região de Brusque. O mais provável, entretanto, é que apenas uma seja efetivamente lançada.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio