Brusque e Guabiruba finalizam projetos para contratar concessionárias do transporte público

Guabiruba aguarda recursos para construção de terminal; Brusque já definiu empresa para elaboração de estudo

Brusque e Guabiruba finalizam projetos para contratar concessionárias do transporte público

Guabiruba aguarda recursos para construção de terminal; Brusque já definiu empresa para elaboração de estudo

Em 2015, Brusque e Guabiruba dão continuidade aos seus projetos de transporte coletivo urbano. Enquanto a Secretaria de Trânsito e Mobilidade (Setram) e a Procuradoria Geral do município trabalham para contratar a nova concessionária do transporte público, a Secretaria de planejamento de Guabiruba articula recursos para que o município tenha o serviço pela primeira vez na história.

No caso de Brusque, a estrutura já existe, contudo, o projeto está em fase menos avançado do que o do município Vizinho. No fim de dezembro, foi realizada licitação para contratar uma empresa, que irá elaborar o estudo técnico que norteará a contratação da nova concessionária.

O consórcio Nosso Brusque, atual concessionária, permanece prestando o serviço até que a nova empresa seja contratada. Nada impede, contudo, que a atual participe da licitação e, se vencer, seja mantida na prestação do serviço.

Nesta semana, foi publicado no Diário Oficial dos Municípios de Santa Catarina (DOM-SC) um aditivo de prorrogação do contrato entre a prefeitura e o Nosso Brusque, que venceu em dezembro passado. A medida é natural, já que a prefeitura ainda não tem quem preste o serviço, caso o consórcio deixe de fazê-lo. O valor estipulado para o aditivo foi de pouco mais de R$ 838 mil.

A empresa contratada para realizar o estudo para contratar a nova concessionária, em Brusque, é a Logitrans Logística Engenharia e Transporte, com proposta apresentada de R$ 90 mil para realizar o estudo, que deve ser finalizado em 90 dias. Basicamente, esta empresa fará uma pesquisa de origem-destino, para delimitar novos itinerários, além de cálculos que embasaram a tarifa que será cobrada.

Conforme a coordenadora de licitações da prefeitura, Joseana Paes Lopes, o processo licitatório já foi homologado e encaminhado para a elaboração do contrato. “Após a assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço pela secretaria de Trânsito, os serviços de estudos e projetos de transporte coletivo urbano de passageiros poderão ser iniciados”, explica.
Entidades serão ouvidas

Nesta semana, o secretário de Trânsito e Mobilidade, Paulo Sestrem, deve se reunir pela primeira vez com representantes da empresa vencedora, no sentido de dar início à produção do estudo. Essa reunião contudo, não será só entre eles.

Isso porque, conforme diz o secretário, entidades empresarias e do comércio de Brusque irão participar da discussão, em uma parceria do município com a Associação Empresarial de Brusque (Acibr) e a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL).

“Essa foi uma solicitação feita no ano passado, de que eles pudessem participar. É uma maneira positiva de contribuir para o melhor sistema de transporte público. Vamos tê-los como parceiros nas pesquisas sobre comércio e nos bairros”, comenta Sestrem.

GUABIRUBA

Verba para construção de terminal é prioridade

O município de Guabiruba, por sua vez, terá um sistema local de transporte coletivo pela primeira vez em sua história. A medida começou a ser viabilizada no ano passado, quando uma empresa realizou um estudo indicando a necessidade do município em contar com esse serviço.

Essa mesma pesquisa mapeou os principais pontos e necessidade de deslocamento dos guabirubenses, para verificação de demanda, a qual embasará a empresa concessionária a ser contratada, na definição de quantidade de ônibus, números de linhas, itinerários, etc.

A regulamentação do transporte coletivo e o projeto já estão finalizados. No entanto, o município está em fase inicial de tratativas com o Ministério das Cidades, para obtenção de recursos. Conforme o secretário de Planejamento de Guabiruba, Wagner Butsch, a intenção é conseguir verba do Ministério destinada a mobilidade urbana, para construção, prioritariamente, de um terminal urbano, que seja ponto de integração para as demais linhas.
Só depois de angariada esta verba é que o edital para contratar a concessionária pode ser lançado. Butsch acredita que este trâmite pode ser finalizado ainda em 2015. “A pesquisa demonstrou que o aumento da frota, em Guabiruba, é mais rápido do que o aumento populacional. Isso mostra que já está na hora de termos o transporte coletivo”, afirma.

A pesquisa de origem e destino apontou que há demanda de transporte coletivo em todos os bairros, e que os principais destinos buscados pelos guabirubenses são o centro do município e, também, o centro de Brusque, já que muitos serviços ainda não são prestados lá. A empresa concessionária terá de lidar com essa situação.
“Na pesquisa, 60% das pessoas disse que usaria o transporte coletivo, se ele fosse disponibilizado”, diz o secretário, “esse foi um dado que nos surpreendeu, porque geralmente há resistência da população”.

O estudo apontou, ainda, a necessidade de cerca de 10 ônibus para cobrir a demanda do município, em linhas que vão sempre dos bairros ao Centro, e vice-versa. A prefeitura, atualmente, especula um local, na área central, para desapropriar um imóvel, o qual abrigará o terminal urbano. A concessionária contratada poderá operar por 20 anos, obrigatoriamente com o sistema de bilhetagem eletrônica.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio