Brusque e região têm eleição tranquila

PM e Justiça Eleitoral afirmam que o pleito transcorreu normalmente; apenas dois carros foram guinchados por boca de urna em Brusque

Brusque e região têm eleição tranquila

PM e Justiça Eleitoral afirmam que o pleito transcorreu normalmente; apenas dois carros foram guinchados por boca de urna em Brusque

Brusque, Guabiruba e Botuverá tiveram eleições tranquilas na avaliação da juíza eleitoral Cláudia Ribas Marinho. De acordo com ela, o pleito deste domingo transcorreu com normalidade, sem registros de crimes eleitorais considerados graves.

“Tivemos apenas duas situações com veículos que foram guinchados, mas sem maior gravidade. No mais, tudo ocorreu com muita tranquilidade”, diz.

Ela ressalta que a quantidade de santinhos espalhados pelas ruas da cidade foi menor do que nos anos anteriores. “Foi uma campanha e uma eleição com a cidade limpa. É claro que precisa melhorar, tivemos alguns registros, mas sem comparação com os anos anteriores. É importante destacar que os santinhos espalhados pelo chão durante a eleição foi de candidatos de fora. Todos os candidatos da cidade nos entregaram as sobras de material na sexta-feira, algo que não aconteceu em outras cidades da região”, destaca.

O tenente coronel Moacir Gomes Ribeiro, também destacou a tranquilidade durante todo o período eleitoral. “Felizmente, tivemos uma eleição muito tranquila do início ao fim, sem grandes problemas. Estamos muito satisfeitos com todo o trabalho realizado na região”, afirma.

Durante o período de eleição, o cartório eleitoral precisou substituir apenas três urnas na região: na Ponta Russa, Cedro Alto e Centro. “Apenas essas urnas apresentaram defeito e foram recolhidas nas duas zonas eleitorais de Brusque”, afirma o chefe de cartório da 86ª zona eleitoral, Guilherme Benedet.

Em Botuverá, apenas uma urna precisou de manutenção. “Precisamos acertar a data e a hora dessa urna, e em seguida ela funcionou normalmente”, completa o chefe de cartório da 5ª zona eleitoral, Carlos Peixoto.

Além dos dois veículos guinchados ao pátio municipal por boca de urna, o cartório eleitoral recolheu também materiais de campanha de alguns candidatos que permaneciam na rua durante o período de votação. “Durante rondas, recolhemos cavaletes e bandeiras de candidatos nos bairros Santa Terezinha, Santa Rita e Centro. O material foi guardado em uma sala no anfiteatro da Unifebe e estará à disposição dos candidatos até 30 dias depois da eleição”, ressalta Benedet.

Toda a apuração dos três municípios foi realizada no cartório eleitoral de Brusque. As primeiras urnas chegaram por volta das 17h30, de Guabiruba. Logo em seguida, chegaram os votos da urna da escola Prefeito Alexandre Merico, no bairro Limeira, e também da Escola Padre Lux, do bairro Azambuja. Antes das 18 horas os primeiros resultados foram apurados, e pouco depois das 18h30, 100% dos votos de Brusque já estavam apurados. Em Guabiruba e Botuverá, a apuração foi encerrada pouco tempo depois.

Movimento intenso

Os brusquenses foram às urnas cedo neste domingo. Na maioria dos colégios eleitorais do município, o período de maior movimento foi durante a manhã, principalmente entre às 9 horas e 11 horas. Durante esse período, filas se formaram em alguns locais, na escola João Hassmann, no bairro Guarani, por exemplo, a fila nas seções 078 e 247 foi grande durante a manhã.

Na escola Dom João Becker, a fila também foi grande durante a manhã. As seções 045, 055, 056 e 134 que funcionavam no Senac, passaram para a escola estadual por causa das reformas naquele prédio.
Já no período da tarde, o movimento diminuiu. Na escola Prefeito Alexandre Merico, no Loteamento Cyro Gevaerd, no bairro Limeira, menor colégio eleitoral de Brusque, com apenas 195 eleitores, no início da tarde, mais da metade dos eleitores da seção já haviam cumprido com a sua obrigação. “Dos 195 eleitores, 110 já votaram neste momento. Vamos concluir a votação cedo, mas somos obrigados a ficar aqui até às 17 horas”, disse a presidente da mesa da seção 138, única do local, Dâmaris de Freitas Martins.

 

Justificativas

O grande número de eleitores justificando a ausência em seu local de votação chamou a atenção dos delegados de prédio na região. “Tivemos um número muito grande de justificativas. A todo momento, tem alguém preenchendo o formulário de justificativa”, disse uma das delegadas da Escola Francisco de Araújo Brusque, Lourdete Cadore Fantini.
Edines Martins Santos, 28 anos, é natural de Una, na Bahia, está em Guabiruba há sete meses e não teve tempo de transferir seu domicílio eleitoral. Ontem de manhã, ela foi até a escola Professor João Boos para justificar seu voto.
Quem também justificou sua ausência foi a gaúcha Roselaine Gamarra, de Ijuí, que está em Brusque há quatro meses, e na tarde de ontem, foi até a escola Ivo Silveira, no bairro Águas Claras, preencher o formulário de justificativa. “Vim para passear em Brusque e acabei ficando. Já tinha passado o período de transferir o título, então desta vez só me restou justificar”.

Eleições em todas as idades

O estudante Jonatas Kohler, 20 anos, votou pela primeira vez neste domingo. Ele é morador do bairro Limoeiro, e na tarde de ontem foi até a sua seção na Unifebe para escolher deputado estadual, federal, senador, governador e presidente. “Acho importante votar, assim podemos ajudar a escolher o futuro do país. Como não sou muito ligado em política, tive ajuda dos meus pais para escolher meus candidatos”, diz.
Já Marli Odete Westarb, 77 anos, não é obrigada a votar há sete anos, mas na manhã de ontem, fez questão de ir até a escola João Hassmann para escolher seus candidatos. “Voto porque gosto. É importante para o país”.

Sujeira na rua

Apesar de proibido, não foi difícil encontrar pontos com santinhos espalhados pelo chão em Brusque. Os locais com maior concentração de material disposto irregularmente foi em frente a Escola Feliciano Pires, João Hassmann, e também próximo à Unifebe, Assevim, e colégio Cônsul.
O eleitor Ivo Moritz Neto, 28 anos, deu um bom exemplo e, voluntariamente, recolheu a sujeira jogada na rua no bairro Guarani. “Me dá um ruim ver essas coisas. A gente não sabe se foi o candidato que mandou jogar ou se foi outra pessoa. Mas resolvi juntar”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio