Conteúdo exclusivo para assinantes

Brusque é a sexta cidade de Santa Catarina que mais gerou empregos em 2017

Com 1.091 vagas, município volta a ter saldo positivo após dois anos de queda

Brusque é a sexta cidade de Santa Catarina que mais gerou empregos em 2017

Com 1.091 vagas, município volta a ter saldo positivo após dois anos de queda

Brusque terminou 2017 como o 6º município de Santa Catarina que mais gerou empregos: foram 21,9 mil admissões e 20,9 mil desligamentos, com saldo positivo de 1.091, conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. Apenas Joinville, São José, Chapecó, Mafra e Blumenau ficaram à frente. O aumento ocorre depois de dois anos consecutivos de fechamento de postos de trabalho.

Fevereiro foi o mês com mais admissões: foram 2,8 mil vagas preenchidas, enquanto dezembro seguiu a tradição de ter o de pior saldo: foram 789 contratações e 1,6 mil desligamentos.

Ao contrário de 2016, quando a administração pública havia sido o único setor com saldo positivo na geração de empregos, outros se destacaram em 2017. A indústria, o comércio e os serviços empregaram mais do que demitiram.

“Não foi uma recuperação a ponto de ter anulado a queda anterior, mas houve uma recuperação. Esperávamos esta melhora. No caso da indústria, é necessário também ver que a modernização faz com que seja necessária menos mão de obra”, diz o presidente da Associação Empresarial de Brusque (Acibr), Halisson Habitzreuter.

Já a construção civil apresentou queda no número de postos de trabalho pelo terceiro ano consecutivo. Para o economista Arílson Fagundes, o declínio na construção civil já estava dentro das expectativas, tendo em vista as mudanças nos programas governamentais. “Os programas habitacionais financiados pelo governo tiveram seu auge nos governos de Lula e Dilma, e pouco andaram no governo Temer. Então, era esperado. O setor imobiliário aguarda a retomada do crescimento econômico e os projetos financiados pelo governo”.

Os dados de Brusque, na opinião de Fagundes, sinalizam instabilidade no mercado de trabalho. “A resposta para esta questão está na migração que o município vem enfrentando nos últimos anos. Muitos vieram em busca de novos empregos. No meio disso, como as crises econômicas vinham se agravando, existiam rodízios periódicos em alguns setores de produção”.

Futuro
Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Brusque (Sindilojas), Marcelo Gevaerd, o bom desempenho do setor em 2017 quando comparado aos anos anteriores significa que o pior já está passando.

Para o futuro, Gevaerd indica que uma vez que a rodovia Antônio Heil esteja completamente pronta, o turismo de compras em Brusque terá acesso facilitado e deverá apresentar novo crescimento. “Falando com outros empresários, a gente percebeu que este janeiro foi melhor. Claro que depende muito destes primeiros seis meses, das eleições e da aprovação da reforma da Previdência Social”.

Já Fagundes vê com cautela a melhora na geração de empregos. “Temos que comemorar, mas temos que lamentar a estagnação e retração em outros setores. É preciso manter um foco de desenvolvimento econômico, mas com responsabilidade e respeito aos brusquenses”.

 

Admissões no ano: 21.997
Desligamentos no ano: 20.906
Saldo: 1.091
1º semestre: + 1.686
2º semestre: – 595

Últimos cinco anos:
Admissões: 124.348
Desligamentos: 124.156

Janeiro:
Admissões: 1.607
Desligamentos: 1.672
Saldo: -65

Fevereiro:
Admissões: 2.799
Desligamentos: 1.844
Saldo: 955

Março:
Admissões: 1.992
Desligamentos: 1.704
Saldo: 288

Abril:
Admissões: 1.848
Desligamentos: 1.458
Saldo: 390

Maio:
Admissões: 1.870
Desligamentos: 1.715
Saldo: 155

Junho:
Admissões: 1.640
Desligamentos: 1.677
Saldo: -37

Julho:
Admissões: 1.778
Desligamentos: 1.715
Saldo: 63

Agosto:
Admissões: 2.002
Desligamentos: 1.788
Saldo: 214

Setembro:
Admissões: 1.877
Desligamentos: 1.833
Saldo: 44

Outubro:
Admissões: 2.139
Desligamentos: 1.519
Saldo: 620

Novembro:
Admissões: 1.656
Desligamentos: 1.562
Saldo: 94

Dezembro:
Admissões: 789
Desligamentos: 2.419
Saldo: -1.630

Geração de emprego por setor em 2017

Indústria
Admissões: 9.532
Desligamentos: 8.677
Saldo: 855

Construção Civil
Admissões: 933
Desligamentos: 1.026
Saldo: -93

Comércio
Admissões: 5.732
Desligamentos: 5.372
Saldo: 360

Serviços
Admissões: 4.567
Desligamentos: 4.157
Saldo: 410

Administração pública
Admissões: 1.150
Desligamentos: 1.557
Saldo: -407

Setor que mais contratou: indústria (9.532)
Setor que mais demitiu: indústria (8.637)
Setor com melhor saldo: indústria (855)
Setor com pior saldo: administração pública (-407)

Ranking das cidades que mais geraram empregos (saldo entre admissões e desligamentos)
1º: Joinville (5.467)
2º: São José (2.341)
3º: Chapecó (1.557)
4º: Mafra (1.304)
5º: Blumenau (1.128)
6º: Brusque (1.091)

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio