Brusque entre as cidades turísticas mais desenvolvidas de Santa Catarina

Levantamento da Fiesc mediu nível do turismo em 12 regiões do estado

Brusque entre as cidades turísticas mais desenvolvidas de Santa Catarina

Levantamento da Fiesc mediu nível do turismo em 12 regiões do estado

Três entidades ligadas à economia do estado realizaram diagnóstico sobre o desenvolvimento turístico de 12 regiões catarinenses. Na lista de municípios, apenas seis deles são classificados como de alto grau de desenvolvimento, enquanto Brusque ficou na classificação “B” – médio-alto grau de desenvolvimento.

O levantamento – intitulado Rotas Estratégicas Setoriais para a Indústria Catarinense – foi realizado pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), pela Federação de Comércio e Bens de SC (Fecomércio-SC) e pelo Sebrae-SC. Durante três anos, as entidades compilaram uma série de informações sobre indústria, infraestrutura e serviços prestados aos turistas. O objetivo é desenvolver ações até 2022.

Os dados avaliaram as regiões em cinco grandes áreas: turismo de orla, parques temáticos, Mice (reuniões, incentivos, congressos e exposições), regiões históricas e turísticas e turismo em áreas naturais.

De acordo com o levantamento, o Vale Europeu, região de Brusque, tem potencial para o turismo de orla, e tem pequenos empreendimentos voltados aos parques temáticos. O destaque no levantamento é o Mice, que envolve o turismo de negócios, comum em Brusque e Blumenau.

Todos esses fatores foram avaliados, conforme dados do Ministério do Turismo. Os dados foram ponderados e dali surgiu a nota de cada município e região. Brusque ficou na categoria B, junto com Gaspar, no Vale Europeu.

Trinta municípios catarinenses foram avaliados como de grau de desenvolvimento médio-alto, o equivalente a 16,3% do total. Guabiruba e Botuverá têm grau de desenvolvimento baixo, categoria E.

Avaliação

Para o secretário de Turismo de Brusque, Rolf Kaestner, a avaliação mostra que o município tem uma boa infraestrutura. Além disso, demonstra que existe potencial para a cidade, desde que se trabalhe com profissionalismo.

“A nossa vantagem são os centros comerciais, e a Secretaria de Turismo começou a desenvolver atividades para eventos”, diz Kaestner, que também é vice-prefeito. Ele afirma que a Pronegócio também é importante e atrai muitos turistas para a cidade.

O desafio para o próximo prefeito será promover melhorias na infraestrutura. “Não somos uma cidade com grandes atrativos naturais, mas estamos perto de grandes centros e da BR-101”, diz Kaestner.

Ele considera que o próximo prefeito deve ponderar a possibilidade de entrar em um acordo com a família Hoffmann para comprar a área em frente ao pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof. O secretário de Turismo afirma que se trata de um terreno central que poderia abrigar um grande centro.

1

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio