Brusque joga melhor e arranca empate com Figueirense no Augusto Bauer

Equipe saiu perdendo em jogo com polêmicas de arbitragem, mas zagueiro Douglas Silva deixou tudo igual

Brusque joga melhor e arranca empate com Figueirense no Augusto Bauer

Equipe saiu perdendo em jogo com polêmicas de arbitragem, mas zagueiro Douglas Silva deixou tudo igual

O resultado foi um empate, mas a raça dentro de campo por parte dos atletas do Bruscão arrancou aplausos da torcida que acompanha a partida contra o Figueirense na noite desta quinta-feira, 8. Do início ao fim, o time da casa foi superior, mas pecou nas finalizações e saiu atrás no placar.

Contudo, no segundo tempo, com gol do zagueiro e capitão Douglas Silva, o quadricolor deixou tudo igual. A partida contou com muita velocidade e lances polêmicos, principalmente por parte da arbitragem. O ponto único fez o quadricolor perder uma posição na tabela, caindo para o sexto lugar. Brusque e Figueirense jogaram no estádio Augusto Bauer.

Na conta do árbitro
Jogando um futebol consistente e buscando o ataque o tempo todo, o Bruscão foi superior ao Figueirense, mas o adversário foi mais eficiente. Contudo, outro personagem foi fundamental para que o visitante saísse vitorioso no primeiro tempo: o árbitro. Cinesio Mendes Junior deixou de marcar faltas, além de duas penalidades na reta final da partida.

Os minutos iniciais foram de pura pressão quadricolor. O Figueira tentava apostar no contra-ataque, mas não conseguia encaixar nada e mal via a cor da bola. Aos 10 minutos, após belo lançamento de Carlos Alberto, Hélio Paraíba testou mas Denis agarrou.

Aos 13, contudo, o alvinegro teve sua primeira grande chance. Ferrareis achou bola quicando e bateu de primeira para linda defesa de Dida. Mas aos 16 a estratégia que prevaleceu foi a do Figueira. Valkenedy errou e deixou a bola com Ferrareis, o atleta correu muito pela direita e cruzou linda bola para Felipe Amorim cabecear e colocar lá dentro, no outro canto de Dida.

Mas o Brusque não se abateu. Pelo contrário: foi a motivação para o quadricolor atacar ainda mais. Aos 31 minutos, Edilson cruzou bola pela direita e quase marcou golaço sem ângulo. Aos 40, o árbitro Cinesio mandou Wilson Junior se levantar após cair na área, causando muita indinação da torcida. A fúria só aumentou quando, Aos 42, em chute de fora da área a bola tocou no braço do zagueiro alvinegro e, novamente, Cinesio nada deu.

A partida seguiu com o Bruscão muito melhor, pressionando, mas nada de bola na casinha. Placar final no primeiro tempo: 1 a 0 para os visitantes.

Empate na raça
Se não dá na técnica, o jeito é ir na raça. E isso não falta para o zagueiro e capitão Douglas Silva, atleta que não desfalcou o Brusque em nenhuma das 13 partidas do quadricolor até aqui – incluindo na Copa do Brasil. Mas até chegar ao gol de Douglas, muita água ainda rolou no segundo tempo.

Nos primeiros 20 minutos, o Figueirense mal tocou na bola. Todos os lances foram para os donos da casa, mas é importante dizer que a linha de defesa do Figueira, bem como o goleiro Denis, trabalhou muito bem. Bola a bola, eles tiraram as chances de gol do quadricolor.

Contudo, foi na bola parada que o Bruscão furou o ferrolho do Furacão. Aos 36 minutos, na cobrança de escanteio, a bola veio quente dentro da área, muita gente tentou a cabeçada, mas foi o zagueirão Douglas Silva que conseguiu empurrar para as redes. Na sequência, o Brusque quase virou o placar: em cruzamento pela esquerda cruzou uma bola que tocou na trave.

Mas nada feito. Fim de jogo, 1 a 1 e o gostinho de que o Bruscão poderia ter derrubado o invicto Figueirense no Gigantinho.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio