Brusque perde para o Figueirense e segue sem vitórias no Campeonato Catarinense

Atacante alvinegro Matheus Lucas marcou duas vezes na vitória por 2 a 1 no Augusto Bauer

Brusque perde para o Figueirense e segue sem vitórias no Campeonato Catarinense

Atacante alvinegro Matheus Lucas marcou duas vezes na vitória por 2 a 1 no Augusto Bauer

O maior público do ano no Augusto Bauer deixou o estádio antes mesmo do apito final. O Brusque sucumbiu ao líder Figueirense na terceira rodada do Campeonato Catarinense. Jogando no Augusto Bauer, a equipe teve problemas para criar, apostou somente nos cruzamentos pelo lado e vacilou em dois lances cruciais que resultaram nos gols de Matheus Lucas. Hélio Paraíba descontou mas, com um a menos após a polêmica expulsão de Zé Mateus, o Brusque não conseguiu o empate.

Com o resultado, o time perde a primeira no campeonato após dois empates. A vitória, que nas outras duas partidas não ocorreu por pouco, desta vez não esteve nem perto de acontecer. As alterações de Paulo Baier – uma inclusive, ainda no primeiro tempo – não surtiram o efeito esperado. A partida entre Brusque e Figueirense foi realizada na noite desta quarta-feira, 23.

Tempo pra esquecer
O primeiro tempo de jogo contra o Figueirense foi, sem dúvidas, a pior apresentação do Brusque em uma etapa deste Catarinense 2019. Defesa vacilante, meio-de-campo sem criatividade e jogadas manjadas pelos lados de campo foram a tônica do desempenho quadricolor. Além disso, no momento que o time tomava a bola e criava o ataque, faltava velocidade e eficácia para definir.

No início de jogo, as impressões eram de que a história a ser escrita sobre a etapa inicial seriam positivas para o dono da casa. O time foi mais agudo e criou oportunidades, como na cobrança de falta direta de Airton que Denis tirou com a ponta dos dedos. O lateral-esquerdo foi o melhor jogador do Brusque na primeira etapa, e aos 11 minutos deu lindo drible no defensor, foi ao fundo e cruzou bonito, mas ninguém completou.

Somente aos 16 o Figueirense conseguiu incomodar, com uma cabeçada em escanteio que Zé Carlos defendeu e mandou para o travessão antes de sair. Mas aos 27 minutos o alvinegro conseguiu o cobiçado gol em uma bobeira da defesa. Matheuzinho foi lançado pela direita em posição duvidosa, conseguiu o toque que chegou na esquerda com Alípio que cruzou para o meio da área. Ali o Figueira tinha liberdade para finalizar: dois jogadores estavam livres, mas Matheus Lucas foi quem testou para as redes.

A partir daí, o time de Baier se perdeu. O técnico apostou na entrada de Jefferson Renan no lugar de Gustavo, ainda no primeiro tempo, acusando que havia algo de errado na escalação original. De fato o jogador deu mais velocidade pelo lado direito do campo, mas a ausência de um meia foi sentida. Clebinho fez estreia apagada. Apesar de ensaiar uma pressão na reta final da partida, o quadricolor teve que engolir a derrota parcial no apito do juiz que decretou o fim do primeiro tempo.

Derrota anunciada
Nem a hidratação no intervalo e nem a conversa com Paulo Baier fez com que o Brusque melhorasse no segundo tempo. A equipe seguiu com os mesmos problemas e a derrota foi se anunciando com o passar do jogo. Aos 8 minutos, o golpe fatal vindo mais uma vez de Matheus Lucas: o camisa 29 recebeu no contra-ataque, dominou e atirou para as redes.

Somente Ianson estava na proteção, e nada pôde fazer.A resposta do Brusque foi na sequência. Mesmo com a jogada manjada, Hélio Paraíba ainda tem estrela na área. O cruzamento perfeito de Edilson veio da direita e ele testou para as redes, no talento, na qualidade. Mas a reação parou por aí. Baier colocou Weverton e tirou Karl, porém o meia-atacante foi contraproducente.

Para piorar, em um lance bastante questionável, Zé Mateus foi expulso. O volante estava sozinho no contra-ataque do Figueirense, entrou em choque com o adversário que caiu e o árbitro deu a falta, aplicando cartão vermelho pela jogada. Mesmo sem um jogador, o Brusque seguiu pressionando, mas a defesa adversária tirou todas as chances.
No último assovio do árbitro Maurício Miranda da Rosa, as vaias se dirigiram ao quadro de arbitragem, perdoando a equipe que fez sua pior atuação até aqui.

Reclamação na entrada
Muitos torcedores só conseguiram entrar na partida enquanto a bola já rolava. Mesmo quem comprou ingresso antecipado teve que entrar tarde. Torcedores acessavam o estádio ainda aos 22 minutos do primeiro tempo. Não faltaram críticas por parte de quem foi ao Augusto Bauer devido o ocorrido. A cobrança é por mais organização e pontos de entrada.

Brusque

Zé Carlos
Edilson
Ianson
Neguete
Airton
Mineiro (Cleiton)
Zé Mateus
Karl (Weverton)
Gustavo (Jefferson Renan)
Clebinho
Hélio Paraíba

Téc. Paulo Baier

Figueirense

Denis
Kauê
Alemão
Pereira
Matheus Destro
Zé Antônio
Betinho
Júlio Rusch
Matheuzinho (Breno)
Alípio (Patrick)
Matheus Lucas (Rubens)

Téc. Hemerson Maria

Data: 23/01/2019
Hora: 19h
Local: estádio Augusto Bauer, em Brusque
Arbitragem: Maurício Miranda da Rosa
Auxiliares: Eli Alves Sviderski e Alexandre Daraio
Gols: BRU – Hélio Paraíba (9 min, 2ºT); FIG – Matheus Lucas (27 min, 1º T / 8 min, 2º T)
Cartões amarelos: BRU – Edilson, Mineiro e Hélio Paraíba; FIG – Kauê e Betinho
Cartões vermelhos: BRU – Zé Mateus
Público: 1.948
Renda: R$ 36.675