Brusquense de 12 anos é convocada para o Sul-Americano de Hipismo

Competição será disputada de 16 a 22 de setembro no Paraguai

Brusquense de 12 anos é convocada para o Sul-Americano de Hipismo

Competição será disputada de 16 a 22 de setembro no Paraguai

João Vítor Roberge‏

Barbara Thomé Fischer, de 12 anos, foi convocada pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) para participar do Campeonato Sul-Americano da modalidade na categoria 1,10 m Pré-Mirim. A competição será disputada no Paraguai de 16 a 22 de setembro, e é a maior competição para os jovens cavaleiros e amazonas.

Em julho, a garota conquistou o sexto lugar entre 46 competidores no Campeonato Brasileiro da categoria. Também foi premiada como amazona mais elegante, com a melhor apresentação entre todas as categorias. O desempenho foi importante para garantir a convocação.

Sua égua principal, HF Silver Ravella, acabou cometendo uma falta nos momentos finais do Campeonato Brasileiro, e desta forma, a melhor pontuação de Barbara foi a HF Dhara. Desta forma, é ela, melhor colocada, que vai com a garota para o Sul-Americano.

Dhara deixou Brusque em 22 de agosto e ficou em quarentena, como exigido pelas regras sanitárias, em Curitiba. Nesta terça-feira, 10, foi para Foz do Iguaçu e aguarda a travessia da fronteira para chegar ao Paraguai.

Tradição de família

Barbara pratica o hipismo desde os 7 anos. Ela já conquistou o Campeonato Catarinense em Florianópolis e foi vice-campeã do CSN de Curitiba. Tem quatro cavalos, que revezam entre si como parceiros para as provas, mas as principais são Silver Ravella e Dhara. A amazona acompanhou o nascimento e o crescimento dos animais, criando um vínculo afetivo importante. A influência para iniciar na modalidade vem por parte de seu pai, Ingo Fischer Júnior.

“Comecei com 10 anos de idade, me dediquei até por volta dos 30 anos, depois parei, mas continuei na criação de cavalos, iniciada pelo meu pai na década de 80. A Barbara nasceu neste ambiente. Sempre mostrou apego, aptidão. Aos 2 anos já começava a passear na Belinha, uma poneizinha nossa, a partir dos 5, 6, começou a montar em cavalos maiores. Ela veio na mesma pegada, no esporte da família, tem o dom, muita dedicação e seriedade”, explica.

Orgulhoso, o pai relata que Barbara sempre obteve ótimos resultados nas categorias em que participou, sempre no alto rendimento, e já foi campeã brasileira por equipes em 2018 “São categorias extremamente exigentes, a idade do cavaleiro é proporcional à altura saltada. É um motivo de orgulho, representar o país no exterior, uma menina que acabou de completar 12 anos.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio
Artigo anterior
Próximo artigo