Brusquense é campeã da Copa do Mundo de Dança pela Alemanha

Isabel Martins Akerman foi vencedora na categoria Jazz Grupo Adulto com a coreografia Taiko Juntos

Brusquense é campeã da Copa do Mundo de Dança pela Alemanha

Isabel Martins Akerman foi vencedora na categoria Jazz Grupo Adulto com a coreografia Taiko Juntos

  • Por Daiane Benso
  • 6:30
  • Atualizado às 11:37
  • +A-A

A brusquense Isabel Martins Akerman, de 21 anos, que atualmente mora na Alemanha, conquistou na quarta-feira, 28, a Copa do Mundo de Dança (Dance World Cup), na categoria Jazz, com sua equipe.

Ela mora na cidade de Freiburg desde o ano passado e estuda Pedagogia da Dança. A Dance Emotion Akademie fur Tanz, entidade da qual participa, oferece formação profissional e aulas de dança. Lá as dançarinas com as melhores aptidões são escolhidas para formar a companhia e para participar das competições. Sua mãe e avó ainda moram no Centro de Brusque.

Isabel e sua equipe participaram neste ano da copa com a Companhia Júnior (New Contract) e a Adulta (Company Release). Competiram tanto da etapa Regional e Nacional (em abril) e das finais do Mundial que ocorreram nesta semana em Offenburg.

Em cada etapa, somente os três primeiros colocados se classificaram, sendo que Isabel e seu grupo passaram em primeiro lugar na categoria Jazz Grupo Adulto com a coreografia Taiko Juntos.

Ela, mais oito jovens de 15 a 21 anos e uma reserva, conquistaram o primeiro lugar com 95,8 pontos. Além do Jazz, também se classificaram na categoria Ballet Fusion Grupo Adulto, onde Isabel apresentou a coreografia Rausch der Sinne (intoxicação de sentidos).

A preparação comandada pelas treinadoras Christina Schnock e Franziska Wolf foi muito intensa e exigiu esforço de todas. Ela explica que a coreografia exige muita responsabilidade e técnica. “Para o Mundial nós incorporamos coisas novas, novas pegadas e modificamos passos para que cada uma pudesse mostrar o seu melhor”, diz.

Isabel ainda afirma que as treinadoras lhes preparam psicologicamente e corporalmente em cada treino e na competição. “O maior desafio para mim foi que todas as provas práticas da faculdade caíram na mesma semana do Mundial, isso exigiu ainda mais concentração. Mas graças a Deus deu tudo certo e agora podemos vibrar com essa conquista. Mesmo competindo pela Alemanha, me sinto também representante brasileira”, destaca.

A jovem já tinha competido na Argentina enquanto morava no Brasil. Ela participou de um campeonato sul-americano de jazz onde obteve o terceiro lugar.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio