Brusquense participa de documentário sobre a história dos videogames no Brasil

Produção "1983: O Ano dos Videogames no Brasil" está disponível no Youtube

Brusquense participa de documentário sobre a história dos videogames no Brasil

Produção "1983: O Ano dos Videogames no Brasil" está disponível no Youtube

O colecionador brusquense Eduardo Loos participou da produção e é um dos entrevistados do documentário “1983: O Ano dos Videogames no Brasil” que está disponível gratuitamente no Youtube.

A produção, que fala do surgimento dos games no Brasil nos anos 1970 e o boom que esta indústria teve a partir de 1983, levou dois anos para ser finalizada. Foram mais de 30 horas de entrevistas com empresários, entusiastas e colecionadores que viveram aquela época, compilados em 2h23.

O projeto “1983 – O Ano dos Videogames no Brasil” começou como um livro do pesquisador e colecionador paulistano Marcus Vinicius Garrett, em 2011. Depois de lançar um segundo volume (“1984: A Febre dos Videogames Continua”) e uma versão definitiva unindo os dois volumes  em um só livro, o autor deu um passo ainda maior e transformou a ideia em documentário. O projeto foi viabilizado por meio de financiamento coletivo.

Amigo de longa data de Garret, Loos participou ativamente da produção do documentário, inclusive, com a revisão final do roteiro. Para ele, um dos diferenciais da produção é a aproximação com todas as partes do país. “Ele se preocupou em ter a visão de colecionadores e entusiastas de outros estados, não apenas do eixo Rio-São Paulo e isso foi muito legal”, diz.

A entrevista do brusquense que faz parte do documentário teve apoio da TV Brusque, que colaborou com a gravação das imagens. Para Loos, que é colecionador há mais de 20 anos, o documentário é uma forma de resgatar a história e também mostrar para as novas gerações como foi o início da era virtual no Brasil.

“Eu tive contato com o mundo do videogame desde o primeiro que foi lançado no Brasil, o Tele Jogo, em 1977. Todo esse mundo retratado no documentário eu vivi, fez parte da minha infância e adolescência e tenho muito orgulho da minha participação”.

O documentário foi produzido pela ZeroQuatroMídia, com direção de Artur Palma e Marcus Chiado Garret. A narração é de Flavio Dias, que ficou famoso nos anos 1990, ao fazer a voz do Beakman, no programa “Mundo de Beakman”, que passava na TV aberta.

Alguns grandes nomes, como o fundador da Atari, Nolan Bushnell e o publicitário mais conhecido do Brasil, Washington Olivetto, também estão entre os entrevistados no documentário.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio