Brusquense tem acervo de mais de mil propagandas políticas de eleições desde 1910

Eduardo Serpa, 35 anos, coleciona santinhos desde os seus nove anos

Brusquense tem acervo de mais de mil propagandas políticas de eleições desde 1910

Eduardo Serpa, 35 anos, coleciona santinhos desde os seus nove anos

Com a morte do senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), no domingo, 10, o brusquense Eduardo Serpa, 35 anos, viu uma pequena parte de sua coleção se espalhar nas redes sociais como forma de homenagem ao político catarinense.

Desde os nove anos de idade – a partir das eleições municipais de 1988 – o morador do bairro São Luiz vem colecionando os santinhos utilizados nas campanhas dos candidatos a cargos políticos no Brasil. “Sempre gostei muito de colecionar figurinhas, e naquele ano, quando eu vi os santinhos espalhados pela rua, achei que poderia colecionar também. Comecei a juntar todos que eu encontrava, e não parei mais. Virou um hobby que levo muito a sério”, conta.

O material que ficou famoso com a morte do senador – resumindo toda a carreira política de LHS através das propagandas – é só uma pequena parte do grande acervo do engenheiro florestal. Serpa tem guardados santinhos de campanhas federais, estaduais e municipais. “Tenho a réplica do primeiro santinho lançado no Brasil, que foi na eleição presidencial de 1910, com Ruy Barbosa. Começo a ter santinhos originais a partir de 1945”, conta.

Para conseguir o acervo – que ele acredita conter mais de mil propagandas – Serpa participa de leilões e faz trocas com outros colecionadores. Em época de eleição estadual, ele também viaja por todo o estado em busca do maior número de propagandas dos candidatos. “Quando é estadual eu vou atrás dos candidatos. Viajo por todo o estado, aproveito para passear, e já vou pegando as propagandas que encontro pelo caminho. Assim minha coleção vai crescendo. Eu também compro, chego a pagar de R$ 50 a R$ 100 por santinho”, diz.

Todo o material está separado por tipo de eleição, em pastas próprias. Cada propaganda é organizada por ano, cargo, e pelo número de votos que o candidato recebeu em cada eleição. “Também faço um pequeno resumo com a história de cada eleição, com todos os concorrentes, e número de votos. De 1988 pra frente tem tudo no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas as anteriores tive que pesquisar muito para conseguir informações”.

A intenção do brusquense é digitalizar todo o seu arquivo e deixar disponível na Casa de Brusque para auxiliar nas pesquisas. “Eu não guardo isso pra mim, por isso, pretendo digitalizar e deixar disponível, também penso em lançar um livro contando a história política do Brasil, Santa Catarina e Brusque, que está tudo resumida nessa coleção, com os santinhos”.
Exclusivo

Um dos maiores orgulhos do colecionador brusquense é ser o único a ter o adesivo de Paulo Maluf na eleição indireta de 1985. “Apenas os deputados que eram a favor dele tinham esse adesivo, o Maluf não tinha apoio popular, então só ficou dentro do Congresso esse material. Eu sou o único que tem esse material no Brasil. Consegui através de um ex-deputado da época”, lembra.
Ajuda dos políticos

Uma das maneiras que Serpa encontrou para conseguir os santinhos, foi entrar em contato com os políticos. “Já recebi mais de 100 cartas de ex-deputados e ex-senadores que me enviaram material de campanha para a coleção. O próprio Luiz Henrique mandou o material da eleição de 1982, quando concorreu a deputado, há uns três meses. Eu mandei correspondência para o Senado pedindo, a resposta demorou, mas chegou. Com isso, eu consegui completar a carreira dele. O único santinho dele que não é original é o da campanha de 1970, quando foi eleito suplente de deputado, que eu digitalizei a propaganda publicada no jornal Município”, conta.
Santinhos brusquenses são os mais difíceis de resgatar

O engenheiro afirma que o material dos políticos brusquenses foi o mais difícil de encontrar, já que não se tem muitos registros sobre as eleições para prefeito do município. “O santinho mais antigo de Brusque é de 1947, quando Paulo Bianchini foi o primeiro prefeito eleito da cidade. Precisei pesquisar tudo sobre a política da cidade na Casa de Brusque. Os santinhos mais antigos, acabo conseguindo com a família dos candidatos. Muitos também consegui fazer cópia do jornal Município, que publicava as propagandas”, explica.

As únicas eleições brusquenses em que Serpa não tem os santinhos de todos os candidatos que concorreram são as de 1988 e 1996. “Em 1988 foi quando comecei, então não consegui pegar muita coisa, e em 1996 eu morava em Florianópolis, por isso, não consegui completar. É um trabalho de formiguinha, tenho que entrar em contato e buscar com cada família. Alguns guardaram, outros já se perderam”.

Para não deixar o seu arquivo em branco, Serpa pesquisa como era o santinho em cada época, e monta uma réplica, até encontrar a propaganda original para substituir. “O santinho do Celso Bonatelli, em 1982, para prefeito, ainda não consegui. Então eu montei o santinho com a foto oficial da campanha e coloquei no acervo até eu encontrar o original, espero conseguir”, diz.

Como ajudar

Quem tiver materiais históricos de campanha guardados, pode entrar em contato com o brusquense pelo e-mail eduflorestal@bol.com.br ou pelo telefone 9111-2545, e ajudá-lo a completar a coleção.

 

santinho 2

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio