Brusquenses presenciam terremoto no Chile

O tremor atingiu 6,4 graus na escala Richter, e apesar da intensidade, não deixou feridos

Brusquenses presenciam terremoto no Chile

O tremor atingiu 6,4 graus na escala Richter, e apesar da intensidade, não deixou feridos

Um grupo formado por 13 brusquenses viveu momentos de tensão no sábado, 23, em Santiago, no Chile, ao presenciar o terremoto de 6,4 graus na escala Richter que atingiu o país. O grupo estava no Chile desde terça-feira, 19, para uma viagem de estudos, quando foi pego de surpresa pelo fenômeno.

O terremoto aconteceu às 18h35 (19h35 no horário de Brasília) e, apesar do susto, não deixou vítimas nem danos materiais. A professora de inglês, Thaise Ferraz, conta que o fenômeno foi rápido, mas suficiente para assustar os brusquenses. “Foram 40 segundos muito longos. O terremoto foi forte, mas não teve estragos. Nós sentimos o tremor, mas felizmente, a cidade é preparada para este tipo de coisa e nada aconteceu”.

De acordo com ela, o grupo estava dividido no momento do tremor. “Alguns estavam no hotel e outros no shopping da cidade. A gente sentia tudo tremer, via os prédios balançando, os lustres, a sensação é como se estivesse em alto mar, mas infinitamente maior”.

Ela afirma que o grupo nunca imaginou que poderia presenciar o fenômeno durante a viagem. “O Chile é um país sísmico, tem terremoto todos os dias, mas 95% deles não é perceptível. Apenas 5% é possível sentir, então nunca passou pela nossa cabeça que pudéssemos presenciar algo desse tipo, as chances eram realmente muito pequenas”, declara.

Para ela, o fenômeno pode ser considerado pior do que uma enchente. “O terremoto é muito pior do que a enchente. A enchente a gente consegue prever, e o terremoto não, você fica refém da situação, é algo inesperado. Você fica com a sensação de não ter o que fazer, e realmente é isso. É muito assustador”.

Apesar da intensidade do terremoto, ninguém se machucou. Ficou apenas o susto. “Foi muito assustador, eu ainda estou com a sensação do terremoto. Voltamos no domingo, e aquela sensação ainda continua. Hoje (ontem) que eu consegui dirigir, porque estava difícil, apesar de ninguém ter se machucado, o susto e os reflexos do terremoto ficaram”.

Segundo informações da imprensa local, o abalo aconteceu a 39 quilômetros a oeste da localidade de Quilhota, e além da capital, Santiago, outras cinco regiões do centro do país foram afetadas pelo tremor.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio