Câmara de Guabiruba realiza primeira reunião itinerante

Comunidade do bairro Aymoré apresentou suas demandas aos vereadores e ao prefeito

Câmara de Guabiruba realiza primeira reunião itinerante

Comunidade do bairro Aymoré apresentou suas demandas aos vereadores e ao prefeito

O Legislativo guabirubense realizou nesta terça-feira, 29, no bairro Aymoré, a sua primeira reunião itinerante, prevista em projeto de lei aprovado pelo Legislativo há alguns meses. Na oportunidade, foram ouvidas reivindicações de representantes da comunidade.

“O grande objetivo desta reunião é ouvir o que a comunidade tem para falar. O diferencial da reunião itinerante é a aproximação entre o poder Legislativo e as comunidades do bairro”, destacou o presidente da Câmara, vereador Felipe Eilert dos Santos (PT).

O espaço reservado à plateia estava quase lotado, e foi reservado parte do tempo da sessão para manifestação da população do bairro. Euclides Schweigert, presidente da Associação de Moradores do Bairro Aymoré, foi o primeiro a falar. Ele pediu atenção dos poderes para a necessidade de obras de drenagem na rua Alberto Reichert.

“Está tendo problemas em dia de chuva, está alagando. Em dia de festa de São Cristovão, que agrega muitas pessoas, é um dos fluxos de retorno do pessoal”, afirmou.

Manifestações da comunidade

Antônio Alves, da rua Orlando Boos, reclamou da infraestrutura em energia elétrica no local. Matias Kohler disse que esse é um dos grandes problemas da cidade, e que a solução é complexa porque hoje a Celesc não têm programas que alcancem as comunidades mais afastadas.

Ele informou que vai pedir um orçamento à Celesc para implantação da rede de iluminação pública no local.

Paulo Ricardo Gums solicitou a troca das lâmpadas dos postes de luz de algumas das ruas do bairro por melhores, devido à pouca iluminação proporcionada pelas atuais. Ele pediu ainda o recapeamento do asfalto da rua Carlos Boos, que já está em condições ruins, conforme os moradores.

O prefeito disse que as melhorias na iluminação pública serão feitas se houver arrecadação de recursos suficiente. Já sobre o recapeamento da Carlos Boos, disse já foi feito estudo de engenharia e se concluiu que o recapeamento total se tornaria inviável, porque a via não tem a base necessária para sustentar uma capa de asfalto.

Servidores públicos protestam durante reunião

Um grupo de servidores públicos municipais realizou um protesto, com cartazes e nariz de palhaço, contra a falta de proposta de reajuste salarial pela Prefeitura de Guabiruba, já que o governo extrapolou o limite da Lei da Responsabilidade Fiscal.

O prefeito Matias Kohler, que estava presente à reunião, disse  que a manifestação é um direito dos servidores, e que deve ser respeitado.

“Nem sempre conseguimos alcançar todos os objetivos, somos humanos e limitados, principalmente pela situação do momento em que se vive, em que o país todo atravessa uma situação econômica difícil”.

Vereadores da oposição cobraram alternativas. “É sabido hoje que a inflação está corroendo o nosso salário, temos que ter uma alternativa”, disse Nilton Kohler, do DEM.

“A prefeitura tem que cortar gastos, de alguma forma tem que dar o aumento aos funcionários públicos”, disse Haliton Kormann (PMDB).

Para o líder do governo, Cristiano Kormann (PP), o governo não consegue repassar reajuste maior porque a situação financeira da prefeitura é “realmente complicada”.

O vereador Jaime Nuss (PMDB) criticou a atual gestão, afirmando que o prefeito “não soube” prever a real situação financeira da prefeitura.

 

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio