Câmara de Vereadores aprova criação de Semana de luta contra a homofobia

Discussão esquentou e gerou bate boca entre vereadores na tribuna

Câmara de Vereadores aprova criação de Semana de luta contra a homofobia

Discussão esquentou e gerou bate boca entre vereadores na tribuna

A Câmara de Vereadores aprovou nesta terça-feira, 9, a criação da Semana de luta contra a homofobia, a ser incluída no calendário oficial de eventos do município, sempre na semana do dia 17 de maio.

O texto, de autoria da vereadora Marli Leandro (PT), ainda precisa passar por uma segunda votação, antes de ser encaminhado para sanção do prefeito Bóca Cunha.

Pela lei aprovada, nesta semana específica poderão ser realizadas atividades relativas à luta contra a homofobia, tanto por instituições privadas como pelo poder público municipal.

Segundo Marli, o objetivo da proposta é que, a cada ano, se promova uma reflexão sobre o tema.

“Uma reflexão sobre tudo que a gente tem visto que tem acontecido, sobre todas as formas de preconceito e violência”, disse a vereadora, a qual também apresentou estatísticas que mostram um alto número de homicídios decorrentes de homofobia, no país.

“Esse debate precisa ser feito, não podemos aceitar que o nosso país tenha esse alto índice de violência contra pessoas homoafetivas”, discursou a vereadora.

Discussão e microfone cortado

Durante a discussão sobre o tema, os vereadores Moacir Giraldi (DEM) e Dejair Machado (PSD) resgataram o polêmico tema da ideologia de gênero, amplamente discutido a nível nacional.

Em dado momento, Machado e Valmir Ludvig (PT) discutiram sobre a homossexualidade sob a ótica dos conceitos bíblicos.

A discussão entre ambos esquentou e só foi interrompida quando o presidente da Câmara, Roberto Prudêncio Neto (PSD), mandou cortar o microfone do petista, que não estava autorizado a falar durante o pronunciamento de Machado.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio