Campeonatos brasileiro e catarinense de Gaiola Cross reúnem mais de 90 pilotos

Competições em Guabiruba foram disputadas trouxeram adrenalina e diversão para público e participantes

Campeonatos brasileiro e catarinense de Gaiola Cross reúnem mais de 90 pilotos

Competições em Guabiruba foram disputadas trouxeram adrenalina e diversão para público e participantes

Confira o vídeo com uma volta no circuito

O tempo úmido, nublado e com poucos pingos de chuva na tarde deste domingo, 15, deu à segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Jeep Gaiola Cross, em Guabiruba, mais lama, dificuldades e adrenalina para pilotos e mais diversão ao público presente no bairro Aymoré. No total, 97 participantes inscritos disputaram as provas, sendo 65 com veículos do tipo gaiola e 22 com o jeep.

A segunda etapa do Brasileiro também conta para a segunda etapa do Campeonato Catarinense, que é realizada em Guabiruba desde 2009. Além dos troféus da competição estadual, o certame nacional também contava com uma premiação em dinheiro, que a comissão organizadora preferiu não revelar.

Tanto os jipes quanto as gaiolas são divididas em duas categorias: turbo ou força livre (com uma superalimentação de ar no motor, tornando-o mais potente) e aspirado (com o motor tradicional). Há também a categoria Batom, exclusiva para as mulheres, que disputam as categorias junto com os homens.

Julia herdou a paixão pelo esporte de seu pai | foto: João Vítor Roberge

De pai para filha
Aos 19 anos, Julia Heberle já é quase uma jovem veterana do Gaiola Cross. Com seu jipe cor-de-rosa da equipe Penélope (em clara alusão à cor do veículo e a personagem Penélope Charmosa, do desenho animado “Corrida Maluca”), ela recebe o carinho do público presente e compete de igual para igual com pilotos mais experientes.

“Vejo as pessoas dizendo que torcem por mim, um dos seguranças, pouco antes da prova, falou que tava na torcida. Dá um gás a mais, ainda mais vontade de fazer bonito.”

Natural de São José (SC), Julia teve enorme influência do pai, Renê, que também é piloto e começou a correr a poucos meses de ver a filha nascer. “Meu pai sempre me incentivou, e quando eu tinha 14 anos mandei fazer o macacão e já comecei a correr”, conta.

Já com experiências anteriores no Campeonato Catarinense, neste ano ela disputa exclusivamente o campeonato nacional, e mira posições altas, entre a 5ª e a 7ª colocações. “É isso, até porque eu corro contra meu pai também”, ri a piloto.

Sobre a presença feminina em um ambiente de predominância dos homens, Julia diz que não há incômodo, e sim mais apoio da comunidade do esporte. Ela diz que exatamente por ser mulher é que recebe um apoio extra, para que continue correndo e incentive outras potenciais pilotos.

Confira abaixo uma das voltas de Julia na pista

Após título conquistado na Fenajeep, Allgayer competiu em Guabiruba | Foto: João Vítor Roberge

Gosto pela chuva
O atual campeão da Fenajeep na categoria Turbo de Jeep Indoor também marcou presença. Maurício Allgayer, de Forquetinha (RS), é piloto desde os 15 anos e busca mais títulos na carreira.

A pista molhada, tão preocupante para alguns, é algo do qual o gaúcho tira proveito. Enquanto vários pilotos acabam perdendo, ele consegue manter seu nível e conseguir vantagens. “Alguns podem não gostar da chuva, dizem que atrapalha, mas eu gosto de pista úmida. É mais técnica”, diz o piloto de 28 anos.

Allgayer também destaca que a manutenção dos veículos é constante. “Sempre fazemos a manutenção, sempre precisa, antes e depois das competições sempre tem o que arrumar. Meu pai também é piloto e meu mecânico então ajuda muito nesta parte”, conta.

Vargas se concentra para mais uma prova | Foto: João Vítor Roberge

De entusiasta a piloto
O empresário brusquense Júnior Vargas, de 30 anos, corre com o jipe gaiola em uma competição oficial pelo segundo ano consecutivo. Fã do automobilismo desde a adolescência, já dirigia veículos do tipo há mais tempo, mas passou a investir no esporte e competir só no ano passado, quando conquistou o 6º lugar na etapa do Campeonato Brasileiro disputada durante a Fenajeep.

“É um hobby que precisa de bastante investimento, por causa das manutenções, mas é muito bom. Infelizmente a pista molhada atrapalha um pouco. É mais legal para o público, mas para o piloto é mais complicado”, explica.

Confira os 10 primeiros colocados de cada categoria

Categoria Aspirado
1º Silvio Ambrosi
2º Rodinei Bottega
3º Clovis Cesar Silva
4º Charles Kochhann
5º Cesar Camargo
6º Rony Allgayer
7º Carlos Henrique Frutuoso
8º Eduardo Boer
9º IsaiasFante
10º Renato Simon Bouwman

Categoria Turbo
1º Valerio Pozzi Neto
2º Rene Jorge Heberle
3º Eduardo Bianchini
4º Cristian José Rodrigues
5º Bruno Cesar Lang
6º Ivan Kohler
7º Julia Silva Heberle
8º Gustavo Rodrigues
9º Vagner Guarezi
10º Laudinei Scheis

Categoria Turbinado GTI
1º Diego maia Vicente
2º Cleiton Stedile
3º Maurício H. Allgayer
4º Adilson Luis Kloss
5º Dinaldo da Silva Costa
6º Renato Grunech
7º Luiz Antônio Ferrarini
8º Sérgio Obrzut

Categoria Gaiola Aspirante
1º Lucas Crespi Noldin
2º Lucas Tomasi
3º Ricardo Primon
4º Lucas Henrique Lang
5º Paulo Fernando da Silva
6º Oberdan Bornhausen Kohler
7º Felipe Grendel
8º Adriano Cruz
9º Júnior Vargas
10º Márcio José Gawleta

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio