Candidato a prefeito de Guabiruba, Orides Kormann (PMDB) fala sobre seu plano de governo

"O primeiro passo é enxugar a máquina", afirma Kormann

Candidato a prefeito de Guabiruba, Orides Kormann (PMDB) fala sobre seu plano de governo

"O primeiro passo é enxugar a máquina", afirma Kormann

Orides Kormann (PMDB), candidato à Prefeitura de Guabiruba ao lado de Nilton Kohler (DEM), é o primeiro a ser sabatinado pelo Município Dia a Dia. Durante quase 20 minutos, ele respondeu a questionamentos específicos sobre o que pretende fazer se for eleito.

Kormann diz que está mais experiente após três mandatos como prefeito. O candidato peemedebista afirma que cortará custos, porém, não detalhou como isto ocorrerá. Ele também pretende municipalizar o serviço de água na cidade, se a Casan – do governo do estado – não tomar providências concretas para melhorar o atendimento.

Todos os candidatos a prefeito serão sabatinados pelo jornal Município. A ordem de publicação das entrevistas foi definida em sorteio, ao qual foram convidados representantes de todas as coligações.


Pendências legais

Orides Kormann responde a processos na Justiça por causa do tempo em que esteve à frente da Prefeitura de Guabiruba. Em 2015, ele foi alvo de denúncia que afirma que serviços de terraplanagem foram superfaturados durante a gestão dele. De acordo com a denúncia, a prefeitura pagou horas-máquina a mais do que havia sido executado. Kormann nega irregularidades.

“Em relação às denúncias que foram feitas, a maioria é de cunho político. Todas estas obras foram feitas e pagas. Não ficamos devendo nada, pelo contrário, deixamos mais de R$ 2 milhões na conta, quando saímos. As obras de terraplanagem foram feitas até dia 30 de dezembro, porque eram obras que eu tinha para terminar. Teve dias que tínhamos duas ou até três trabalhando direto. Todas as obras foram provadas com fotos e depoimentos. Denúncias podem fazer, mas eu não fui condenado em nenhuma. O medo da oposição é que eu seria candidato, como eu sou”, diz.

O ex-prefeito e candidato também nega envolvimento no esquema de compra de votos denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) neste ano. Neste caso, eram trocados votos por cargas de brita.

Kormann também critica a oposição, sem citar nomes, porque, supostamente, alguém implantou o boato entre a população de que ele não poderia concorrer por causa das pendências judiciais. O candidato nega qualquer problema e ressalta que denúncia é diferente de condenação de processo transitado em julgado.


Abastecimento de água

A Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) é a responsável pelo abastecimento de água em Guabiruba. Há algum tempo, a população reclama da qualidade do líquido. A agência reguladora, a Agir, também já cobrou melhorias.

Em abril de 2015, o presidente da Casan, Valter Gallina, veio até a região e anunciou investimentos de R$ 3,5 milhões. Entretanto, mais de um ano depois, não houve melhora. Kormann defende o diálogo com a companhia de água.

“Eu tenho acesso muito bom na Casan, o presidente Gallina é muito amigo meu”, afirma o candidato. Ele diz que, se nada melhorar, é preciso pensar na municipalização. Kormann já era a favor da municipalização em 2012, quando era prefeito. “No começo de 2012, eu tinha tudo para municipalizar a água em Guabiruba. Inclusive, os vereadores e o prefeito, que hoje estão se batendo, foram contra. Hoje, eles estão sentindo”, diz.


Saúde pública

Para o candidato do PMDB, a Saúde é o setor que tem as maiores carências no município. De acordo com ele, faltam medicamentos nos postos de saúde. “Na campanha passada, teve candidato que falou que remédio tinha que ser entregue em casa”.

Kormann diz que não é preciso entregar o medicamento na casa do paciente. “A população não tem nada contra ir ao posto de saúde, mas que tenha remédio”, comenta.

Outro ponto que de vez em quando volta à tona em Guabiruba é a situação do hospital da cidade. Kormann afirma que já queria tê-lo municipalizado em 2012, quando era prefeito, contudo, não recebeu apoio político. “Em 2012, repassávamos R$ 17 mil ao hospital, hoje, a prefeitura repassa mais de R$ 100 mil, e o hospital está pior”, comenta.

Ele argumenta que a unidade deve ser municipalizada, e se a associação que administra o hospital não concordar, a prefeitura deve buscar maneiras para construir um outro estabelecimento.

Ainda que exista a crise financeira que afeta todas as esferas de governo, Kormann acredita que há possibilidade de buscar recursos para um novo hospital. Se não for possível, ele quer transformar a Policlínica em 24 horas.


Educação infantil

Em relação a vagas em creches municipais, Kormann adota um tom crítico. “Me lembro que foi prometido, em Guabiruba, creche integral, o dia todo, em diversos horários”, afirma. Ele defende que as unidades funcionem em horário “normal”.

A população de Guabiruba tem crescido rapidamente de tamanho, por isso, Kormann diz que, se necessário, irá construir novas creches ou ampliar as já existentes.


Situação financeira na prefeitura

Kormann adota um tom mais forte com relação à crise financeira na Prefeitura de Guabiruba. A administração municipal gasta mais de 54% com a folha de pagamento, sendo que este é o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

De acordo com o candidato peemedebista, o problema é o tamanho do funcionalismo. “Hoje, tem mais de 90 pessoas a mais do que eu tinha. Entreguei a folha de pagamento com 46% do orçamento, depois chegou a 56% ou mais”, diz.

O candidato diz que a primeira ação dele, se eleito, será avaliar cortes. “O primeiro passo é enxugar a máquina”. Ele não detalha se haverá cortes de comissionados, tampouco de secretarias. Afirma que irá conversar com os servidores para tentar encontrar solução para a folha de pagamento.

Apesar dos problemas com a folha e com a baixa arrecadação, Kormann diz que buscará contratar mais profissionais para a saúde. “Temos que conseguir mais profissionais de saúde, e melhorar a educação, em relação aos professores”.


Grandes obras

Com a folha de pagamento acima da LRF e a arrecadação em baixa, a viabilização de obras será um desafio para o próximo prefeito. O governo do estado fechou a torneira de recursos, e o governo federal deve fazer o mesmo em 2017, pois a previsão é de um rombo nas contas.

Kormann, no entanto, acredita que a situação pode ser revertida. “O governo federal e estado estão mal entre aspas. A gente sempre consegue recursos, com emendas parlamentares, e o estado tem recursos para ajudar os municípios. E vamos ter um bom acesso no governo federal, tenho certeza”, afirma.

O candidato diz que os bairros Aymoré e Guabiruba Sul precisam de recapeamento de asfalto urgentemente. Ele afirma que não existe uma região da cidade que merece mais atenção porque Guabiruba cresce por igual em todos os cantos.

“Guabiruba é diferente, porque nossas empresas estão instaladas perto das residências dos guabirubenses. O Aymoré, por exemplo, tem muitas empresas”, diz Kormann.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio