Carlos Renaux joga a vida na Série C para voltar a uma final depois de quase 60 anos

Ataque do Vovô precisa quebrar jejum de gols para vencer; do contrário, dá adeus ao sonho do acesso

Carlos Renaux joga a vida na Série C para voltar a uma final depois de quase 60 anos

Ataque do Vovô precisa quebrar jejum de gols para vencer; do contrário, dá adeus ao sonho do acesso

O Carlos Renaux pode chegar a sua primeira final a nível profissional depois de quase 60 anos, depois que enfrentar o Atlético Itajaí neste domingo, 21, às 15h, no estádio Roberto Santos Garcia, em Camboriú. Após o empate em 0 a 0 no Augusto Bauer, a vitória é obrigatória ao Vovô, seja no tempo regulamentar ou na prorrogação, porque um empate por qualquer placar, inclusive na prorrogação, significa o fim do sonho do acesso.

Veja também:
PT pede à Justiça Eleitoral mandados de busca e apreensão na casa de Luciano Hang e na Havan

Antigo Casarão da Saúde, no Centro de Brusque, é demolido

Prefeitura estuda terceirização da Fenarreco nos próximos anos

A última final a nível estadual em que o Carlos Renaux esteve presente foi a do Campeonato Catarinense de 1958. Na verdade, a final foi disputada em 1959, e o Hercílio Luz bateu o Vovô por 3 a 1 em 29 de março daquele ano, sagrando-se bicampeão. Foi o terceiro jogo da final, realizado em Florianópolis.

Para realizar a façanha de voltar a uma final, a equipe precisa manter a força defensiva, uma vez que não sofre gols há quatro jogos. Mais precisamente, há 428 minutos. A última vez que a defesa vazou foi no gol de Jackson Júnior, do Jaraguá, na terceira rodada da fase de grupos, no Augusto Bauer, em 15 de setembro.

Mas mais do que manter a defesa, é preciso focar no ataque, que segue inoperante. Nos últimos quatro jogos do Vovô, apenas um gol foi marcado: o de Thierry, sobre o Porto, em Porto União, que sacramentou a classificação. Jogadas seguem sendo criadas, com diversas chances sendo desperdiçadas. Contra o Atlético Itajaí, foram pelo menos duas chances claras: com Alisson, no primeiro tempo, e com Fabinho, no segundo.

O técnico está ciente da responsabilidade, e que a ineficiência no ataque beira o nível do desesperador. O time terá uma abordagem ofensiva, como sempre, jogando com as linhas altas e buscando o gol, que nunca foi tão necessário. “É inacreditável. É muita chance perdida. Dominamos do começo ao fim. Estamos fazendo de tudo, e uma hora a bola tem que entrar”, afirma. Ele também vê como ponto positivo o fato de o jogo ser disputado em Camboriú, onde considera ser campo neutro.

O lateral-direito Thierry levou o terceiro cartão amarelo no primeiro jogo da semifinal e está fora. Johnny, substituto imediato, é volante de ofício e se recupera de lesão. Assim, o meia Djonathan deve ser improvisado na posição. Taíco deve utilizar um time com Nathan; Djonathan, Arthur, Murilo, Thiago Cristian; Willian, Jader; Luizinho, Athos, Alisson; Fabinho.

Athos, Murilo, Jader e Thiago Cristian descontraem antes do treino | Foto: João Vítor Roberge

“O resultado foi bom em Brusque”
O Itajaí segue desfalcado de Paulinho, um de seus principais jogadores. Ao contrário do Carlos Renaux, não apresenta grandes desfalques.

O técnico Rony Aguilar gostou do empate sem gols no Augusto Bauer, mas não vê a vantagem do empate na prorrogação como algo que permita a equipe a só jogar pelo resultado. “Toda vantagem é boa, mas a gente tem que ganhar o jogo dentro de casa. Sabíamos da dificuldade por ser uma semifinal, a equipe adversária nos pressionou a todo momento, não perdemos e trouxemos o confronto vivo.”

Veja também:
Rua de acesso à ponte do Rio Branco será alargada em 2019

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

PM registra três assaltos em um mesmo dia, em Blumenau

Jogar em Camboriú não foi uma opção do clube. Com o Marcílio Dias trocando o gramado do estádio Hercílio Luz, o Atlético Itajaí precisou encontrar outra opção. A melhor encontrada foi no Roberto Santos Garcia, em Camboriú. Ainda assim, o time auriazul vai jogar longe de sua torcida, e oferecerá ônibus gratuito, assim como foi feito no jogo em Brusque.

Aguilar pretende definir a escalação ainda às vésperas do jogo, mas com o empate satisfatório no Augusto Bauer, é provável que o time seja repetido: Edmar; Mota, Silvio Gomes, Téssio, Cristiano; Gabriel, Renan Matheus; Luiz Renan, Hadrian; Jean Carlos e Bruno Andrade.

Do outro lado
Quem passar entre Carlos Renaux e Atlético Itajaí já estará sabendo qual será seu próximo adversário. O Caçador recebe o Próspera às 15h deste sábado, 20. Os mandantes precisam reverter a vantagem. O time criciumense, treinado por Paulo Bauer, venceu a ida em casa por 2 a 1.

Confira a partida em tempo real
A partida entre Atlético Itajaí e Carlos Renaux terá cobertura em tempo real pela internet. Para acompanhar todos os lances, basta acessar omunicipio.com.br. A cobertura começa a partir das 14h30.