Catarinenses devem gastar menos no presente de Dia dos Pais este ano

Pesquisa da Fecomércio mostra que a intenção de gasto neste ano é de R$ 141,90, valor menor do que em 2014

Catarinenses devem gastar menos no presente de Dia dos Pais este ano

Pesquisa da Fecomércio mostra que a intenção de gasto neste ano é de R$ 141,90, valor menor do que em 2014

Neste ano, os catarinenses pretendem gastar menos com o presente do Dia dos Pais, se comparado com a média de valor gasto no ano passado. De acordo com a pesquisa da Federação do Comércio de Santa Catarina (Fecomércio), realizada entre os dias 8 e 11 de julho, a expectativa de gasto médio dos consumidores catarinenses neste Dia dos Pais será de R$ 141,90, valor menor do que o levantado pela mesma pesquisa em 2014, que foi de R$ 166,44.

O assessor econômico da Fecomércio, Luciano Córdova, destaca que a queda da expectativa do gasto médio está fortemente vinculada à situação econômica brasileira. “O aumento da inflação corrói as famílias e, isso dá impacto no gasto médio dos consumidores. Além disso, temos a alta do desemprego, a queda na confiança dos consumidores, o acesso mais restrito ao crédito e a queda da renda real que influenciam nesse resultado”.

Córdova ressalta que, pela primeira vez, a maioria dos entrevistados afirmou estar em uma situação econômica pior do que no mesmo período do ano anterior. “38,4% dos entrevistados afirmaram estar pior do que no ano passado. Essa é uma situação inédita, nunca esse índice foi registrado em uma pesquisa da Fecomércio. É perceptível que os consumidores estão muito preocupados com a situação financeira do país”.

A pesquisa mostra ainda que a maioria dos consumidores catarinenses pretendem comprar o presente do papai à vista, em dinheiro. No entanto, o assessor financeiro afirma que, apesar dessa opção ser predominante entre os consumidores, na prática a tendência não se confirma.

“É importante lembrar que esta é uma pesquisa de intenção. 71,4% pretende pagar à vista em dinheiro, mas no fim das contas isso não acontece. A tendência é que, no fim das contas, as compras parceladas sejam maiores entre os catarinenses”.
A entidade também avaliou quais ações dos lojistas mais atraem os clientes na hora de escolher o presente do Dia dos Pais. 34% dos consumidores afirmaram que o preço bom é o que mais pesa na hora da compra, já 26% levam em conta o atendimento e, 25% as promoções na hora de fechar negócio. A pesquisa também aponta que 70% do clientes pretende realizar pesquisa de preço antes de escolher o presente do pai.

“A expectativa da Fecomércio é que este Dia dos Pais seja de retração para o comércio em relação ao ano passado. A confiança do consumidor está bastante reduzida e, assim o consumo tende a ser menor”, afirma.
Preferências do consumidor

A pesquisa mostra que o comércio de rua será a principal opção dos catarinenses para a compra do presente do Dia dos Pais. 73% dos entrevistados apostam nas lojas de rua, 20% pretendem escolher o presente no shopping e, apenas 2,6% farão a compra pela internet.

Em Santa Catarina, a primeira opção de presente são as roupas, já que 57% dos consumidores apostam no vestuário para agradar o pai. Em segundo lugar, com 12,2% estão os perfumes/cosméticos, e logo atrás, os calçados, com 12,1% da preferência dos clientes. Os eletroeletrônicos somam apenas 3,4% da intenção de compra dos consumidores.
Brusquenses estão otimistas

Em Brusque, a expectativa é que com a chegada da data, as vendas no comércio melhorem. “A expectativa é que venha fluir o comércio. Ano passado foi complicado, esperamos que este ano seja melhor”, diz o gerente da Lemus Esportes, Weberton dos Santos.

De acordo com ele, os clientes iniciaram a pesquisa de preços há algumas semanas, mas as compras acontecem mesmo nesta semana. “Já estão começando a olhar, mas sempre deixam para a última semana. Acredito que Brusque ainda não está sendo influenciada pela crise, torcemos para o movimento ser melhor”.

O vendedor da Camisaria Laura Cattani, Anderson Silva, também acredita que a crise não deve influenciar nas vendas do Dia dos Pais. “As pessoas estão comprando menos carro, casa, e então sobra para nós do comércio. Acredito que as vendas serão melhores do que no ano passado”, diz.

Para ele, o fator preço e qualidade é que vai decidir a preferência do consumidor. “O pessoal já está muito atrás de preço, pesquisando. Está todo mundo atrás de promoções, mas sem esquecer a qualidade do produto também”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio