Em 2017, a reconstrução da Chapecoense foi feita em grande estilo dentro do campo. O time conseguiu um inédito bicampeonato catarinense, quase chegou às oitavas de final da Libertadores e, em meio a altos e baixos e trocas de técnico, conquistou o 8º lugar no Brasileiro. Isso tudo no ano seguinte à tragédia aérea na Colômbia.

Para 2018, a perspectiva muda completamente. A Chapecoense é o único clube catarinense presente na Série A do Campeonato Brasileiro e vai participar da Libertadores pelo segundo ano consecutivo – um recorde em Santa Catarina. Com a franca ascensão e a queda de seus principais rivais, não é absurdo nenhum dizer que o Verdão d’Oeste se torna o grande favorito para mais um título catarinense.

A pré-temporada foi curta e contou apenas com um amistoso, vencido por 3 a 2 sobre o Tubarão no sábado passado, 13. E diferente do ano passado, a Chape já terá que dividir a atenção entre o Catarinense e a Libertadores desde janeiro. O primeiro jogo oficial na temporada é nesta quarta-feira, 17, no Domingos Lima, às 20h30, contra o rival Concórdia, que retorna neste ano à elite do futebol estadual.

Para tentar manter os padrões altos, vieram sete reforços. Entre eles, o volante Márcio Araújo, que estava no Flamengo, e o zagueiro Rafael Thyere, emprestado pelo Grêmio e campeão da Libertadores pelo tricolor gaúcho.

Jogos contra o Brusque:

7ª rodada – 10/02 – 17h
Chapecoense x Brusque
Arena Condá

16ª rodada – 25/03 – 17h
Brusque x Chapecoense
Augusto Bauer

Deixe uma resposta