A tradição em Guabiruba também carrega a personagem Christkindl (pronuncia-se “cristquindel”). Mas quem é essa figura que se veste toda de branco e entrega doces para as crianças? Seria ela uma noiva?

Na verdade, a personagem representa o Menino Jesus e está relacionada à reforma protestante de Martinho Lutero. Castro explica que ao contrário do catolicismo, a reforma defendia que somente o Cristo crucificado poderia tirar os homens do pecado.

Por isso, a igreja luterana tentou ocultar a figura de São Nicolau que julgava as crianças pelo bom ou mau comportamento e propôs um jeito não religioso de celebrar o Natal com Deus, sem punição: substituiu o santo por um novo presenteador, o “Menino Jesus”, ou Christkindl.

Rosemari Glatz, que escreveu artigo acadêmico a respeito, explica que esse nome, no dialeto alemão Badenser, significa Cristo em forma de criança. Ela conta que no começo a Christkindl era representada por um menino entre quatro e oito anos e representava o “Senhor do Mundo”.

Até o século 19, no sul da Alemanha onde viviam católicos, a personagem era “representada por bonecos ricamente ornamentados e segurando na mão o globo”, escreve Glatz.

Mas na região onde havia o culto luterano, São Nicolau foi deixado de lado e o Cristo foi visto como presenteador das crianças e a data de entrega dos presentes foi do dia 6 de dezembro para a véspera de Natal.

Segundo Glatz, conforme explica o escritor Baasner, a figura da Chrstkindl é alterada com o passar dos anos.

Ela começou a ser interpretada como uma criança. Conforme menciona Glatz, nas áreas católicas da Alemanha Christkindl referenciava a encarnação de Jesus como uma criança.

Depois, ela ganha uma personalidade mais humilde, com roupas simples e em um nível de igualdade às pessoas para receber o amor e a contemplação do povo. Por isso, aparecia sentada em um burrinho.

Uma figura de 1847 mostra a Chirstkindl acompanhada do servo Ruprecht, que utiliza um manto grosso de peles, gorro e botas.

Já em 1900, a personagem passou a ser representada não mais por um menino, mas por uma menina da mesma idade, que usava um vestido branco, de tecido leve e fluído, que caminhava pela floresta à luz de Natal. Com essa representação, a figura do Ruprecht se torna fundamental e faz com que ele seja a pessoa que mostre os caminhos e carregue os pesos.

Glatz diz que uma das explicações para a mudança de sexo da personagem é que ela foi perdendo o sentido religioso e se tornou uma figura de bondade, perdão e generosidade, características que no fim do século 19 e início do século 20 não poderiam ser representadas por um homem, que tinha uma imagem muito ligada às guerras.

A Christkindl tem sido representada como uma menina amiga, bondosa, que incorpora a paz universal do tempo de Natal. E, o servo Ruprecht continua a acompanhando e assume o trabalho e o esforço. No entanto, o castigo seria não receberem presentes, o Ruprecht não os machucaria se tivessem sido mal criados

No século 20 a personagem passou por mais uma mudança e começou a ser representada por uma mulher com idade entre 15 e 20 anos, alta, magra, com feições neutra e contemplativa – também usavam véu para não serem identificadas.

Segundo Castro, uma imagem da região do Palatinado em 1858, dois anos antes da fundação da colônia Itajahy-Brusque, mostra uma imagem da Christkindl acompanhada do Pelznickel vestindo casaco de peles preto, portando uma longa vara com corrente nas mãos e um longo chapéu. Ao seu lado, aparece um burro. A época de natal é reforçada pelo clima de inverno do hemisfério norte.

Personagem entrega presentes para as crianças | Foto: August Becker (1858) republicado por Àlisson Castro

Na análise do historiador, a imagem dá a entender que o burro e o Pelznickel tem a ver com a tradição católica, de cobrança e punição e a Christkindl à tradição protestante, a oferecer algo pela boa conduta das crianças.


Você está lendo: Christkindl: quem é a mulher vestida de branco que entrega doces


Acompanhe:

– Introdução
– Conheça a história por trás da lenda do Pelznickel, o famoso Papai Noel do mato
– As variantes do Pelznickel: como é o personagem pelo mundo
– Como é o Pelznickel em outros lugares do Brasil
– O Pelznickel em Guabiruba: como a lenda se tornou tradição no município
– Na memória: os costumes do Pelznickel antigamente
– Sociedade do Pelznickel mantém viva a tradição em Guabiruba
 Por trás da fantasia: quem participa da Sociedade do Pelznickel
– Como é a produção da roupa do Pelznickel
– Dos passeios de casa em casa a Pelznickelplatz
– O Pelznickel como atração turística em Guabiruba

Deixe uma resposta