Cia do Esporte vence Floripa Têxtil nos pênaltis e é campeão do Torneio de Verão

Partida eletrizante e repleta de polêmicas terminou em 3 a 3 no tempo regular

Cia do Esporte vence Floripa Têxtil nos pênaltis e é campeão do Torneio de Verão

Partida eletrizante e repleta de polêmicas terminou em 3 a 3 no tempo regular

O Cia do Esporte soltou o grito de campeão da primeira edição do Torneio de Futsal de Verão na Arena Brusque. A equipe venceu nos pênaltis o Floripa Têxtil por 3 a 2, após, no tempo regular, a dupla empatar em 3 a 3. O jogo teve muita velocidade, em um confronto digno de uma grande decisão da competição que abriu a temporada do futsal municipal.

A final foi realizada na noite desta quinta-feira, 22, na Arena Brusque.

Tempo eletrizante
A grande final do Torneio de Verão não poderia ter um início mais eletrizante, polêmico e cheio de gols. As duas equipes entraram com propostas diferentes, mas com o objetivo de vencer e sair campeão da competição. Com isso, a velocidade e a intensidade das jogadas fizeram com que os torcedores presentes na Arena Brusque mal piscassem os olhos.

Quem atacou mais foi o Cia do Esporte e, na jogada ensaiada, o time saiu na frente. Renato recebeu uma bola na cobrança de falta, chutou quase sem ângulo mas colocou na bochecha da rede, abrindo o placar. O artilheiro do campeonato, Bruno, também ameaçava demais, com boas jogadas e muita vontade em quadra.

Mas a experiência dos atletas da Floripa e a estratégia do contra-ataque foi determinante para que o time virasse o placar. O empate foi com gol do icônico Dunke: Marcelo fez boa jogada individual, lançou Eder que chutou na trave, mas na sobra o camisa 8 foi lá conferir. Dunke provou também que tem fôlego, ajudando não só no ataque, mas correndo para proteger a defesa do time.

O contra-ataque seguiu sendo uma arma poderosa para o time de branco. Alcenir marcou depois da roubada de bola de José, que entregou com carinho para o atleta apenas colocar lá dentro. Aí os ânimos ficaram à flor da pele e, após uma falta para o Cia do Esporte, Ilson se destemperou, partiu para cima do árbitro e acabou expulso. Prato cheio para o terceiro gol do Floripa: José pegou bola no ataque, limpou a marcação e chutou bonito para marcar o último gol da primeira etapa.

Cia cresce e partida vai aos pênaltis
O Floripa voltou com total desatenção para o segundo tempo, o que abriu os caminhos para o Cia. No primeiro minuto de jogo, surgiu o gol do rubro-anil. Na lindíssima jogada individual de Bruno, que tirou a marcação para dançar, a bola foi rolada para João Vitor dar o toque final, colocando nas redes.

Enquanto o Cia tomava conta do jogo, o Floripa encolhia. As chances de contra-ataque eram reduzidas, e quando aconteciam o time já não tinha mais o mesmo aproveitamento. O rubro-anil perdeu diversos gols frente a frente com Murilo, principalmente pela habilidade do time de branco em se defender.

Mas o gol de empate surgiu em uma das poucas trapalhadas do Floripa. Djalma pegou boa bola pelo lado direito, chutou para cruzar e Dunke, caído em quadra, espanou o taco botando ela contra o próprio patrimônio. O gol botou fogo na partida, e o Floripa saiu mais para atacar.

Contudo, faltando menos de um minuto para a partida acabar, o cenário ficou perfeito para o Cia: Felipe aplicou um perigoso carrinho por trás, e foi expulso diretamente de quadra. O rubro-anil tentou de tudo, Djalma acertou até bola na trave, mas nada adiantou: a partida foi para os pênaltis. Aí prevaleceu a competência do Cia do Esporte: todos os atletas converteram, enquanto Marcelo, do Floripa, teve sua cobrança defendida por Nilton.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio