Cinco atletas e o técnico do Barateiro/Uniasselvi são escalados para Mundial Universitário de Futsal

A competição será realizada em Goiânia entre os dias 3 e 10 de julho

Cinco atletas e o técnico do Barateiro/Uniasselvi são escalados para Mundial Universitário de Futsal

A competição será realizada em Goiânia entre os dias 3 e 10 de julho

Das 14 jogadoras brasileiras que lutarão por mais um título do Campeonato Mundial Universitário de Futsal Feminino, cinco são do Barateiro/Uniasselvi. Além de Amandinha, Diana, Gabi, Jessika e Valéria, o clube brusquense ainda emplacou o técnico Esquerda como membro da comissão que treinará a equipe. A competição será realizada em Goiânia entre os dias 3 de 10 de julho.

Entre experiente e debutante

Realizadas pelo trabalho reconhecido, as atletas já se preparam para mais uma experiência internacional. A história do quinteto com a competição é bastante diversificada. Valéria é a mais experiente, e já participou de cinco edições da competição. Dessa vez, contudo, é o primeiro ano em que a fixa participará tendo como clube o Barateiro, já que em todas as outras oportunidades ela defendia a Unochapecó quando foi escalada. “Ser experiente não basta em competições como essa. Eu vou estar lá para somar e representar o meu país da melhor maneira possível”, afirma.

Também experiente, Jessika chega em sua quarta edição defendendo a seleção brasileira universitária. Valéria e Jessika disputaram junto com Amandinha e Diana a última edição da competição, em 2014. As quatro ajudaram o Brasil a faturar o tetracampeonato da competição em Málaga, na Espanha. A grande final foi contra a seleção da casa, vencido por 3 a 1.

Por outro lado, há quem esteja debutando na competição. A goleira Gabi, de 18 anos, fará sua estreia no evento. Justamente por ser seu primeiro ano no Mundial Universitário, Gabi é humilde e reconhece que terá que lutar para ser reconhecida dentro da seleção. “Aos poucos vou conquistando meu espaço. Sei que a experiência conta muito, sou realista quanto a isso, e a titularidade não é conquistada do dia para a noite. Será bom ter minhas colegas de equipe por perto, passa mais confiança”, completa.

Responsável por auxiliar o comando técnico da seleção, o treinador do Barateiro, Esquerda, se diz honrado por poder defender o Brasil na competição. “É o sonho de todo treinador, chegar em um momento como esse. Independente de ser como auxiliar, o importante é fazer parte da comissão técnica e dessa forma poder retribuir o reconhecimento”, explica.

Para o comandante, é importante que o clube brusquense tenha em seu plantel atletas que frequentemente são destaque no cenário nacional do futsal feminino. “Elas têm histórico de serem convocadas até para a seleção principal da CBFS [Confederação Brasileira de Futebol de Salão]. É importante e ajuda o time essa troca de experiências. Espero que elas possam contribuir novamente e que venham novas convocações”, completa Esquerda.

Equipe em construção

Sobre o time do Barateiro, que começou o ano de competições entre derrotas e vitórias, a capitã Diana acredita que está em um momento de construção. “Mudou o jeito de jogar. Estamos nos adaptando. Antes tínhamos a Nega, e o esquema favorecia ela, mas agora com a chegada da Valéria formamos um novo padrão de jogo”.
Nega, pivô que jogou por sete anos no Barateiro, agora é da Unochapecó. A atleta, que fez gol na final de 2014 contra a Espanha, voltou a ser selecionada para mais esta edição do Mundial Universitário. Da equipe do Oeste, também foram selecionadas cinco atletas, além do técnico e de uma preparadora física.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio