Clínica da Mulher coleta até 50 litros de leite materno por mês em Brusque

Dez mães doadores foram homenageadas nesta quinta-feira, 19, com tarde de beleza

Clínica da Mulher coleta até 50 litros de leite materno por mês em Brusque

Dez mães doadores foram homenageadas nesta quinta-feira, 19, com tarde de beleza

Com o intuito de homenagear as doadoras de leite materno de Brusque, a Clínica da Mulher promoveu na tarde desta quinta-feira, 19, – Dia Mundial de Doação de Leite Humano -, um momento especial para cerca de dez mulheres.

As mamães, que generosamente ofertam o seu leite para ajudar outras crianças, principalmente bebês da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal, receberam no auditório do Centro de Serviços em Saúde cuidados especiais no cabelo e nas unhas da equipe do Instituto Embelleze. Elas também desfrutaram de um café e apreciaram apresentação de musicoterapia.

A enfermeira da Clínica da Mulher e do programa Amamenta Brusque, Thaisi da Cunha, diz que é uma forma de agradecer as mães pelo que fazem por outras famílias. Ela afirma que a equipe de Saúde, quando vai buscar o leite na casa das mulheres, é sempre bem recebida. “Gratidão pelo ato que realizam ou já realizaram por outras mães e bebês”.

Thaisi diz que o leite humano é o único que tem os anticorpos de proteção da mãe. Além disso, a mulher que doa o seu leite ajuda a outra mãe de forma fundamental. “Financeiramente é mais viável, por que essa mãe não precisará se preocupar em comprar leite. Também é uma doação importante num momento em que a outra mãe não tem leite e não sabe o que fazer para amamentar o seu filho”.

Thaisi explica que o número de doadores de leite humano é muito instável no município, mas há uma média de 20 a 30 por mês, o que gera aproximadamente de 30 a 50 litros de leite. Segundo ela, um frasco de leite – que tem cerca de 500 ml, pode amamentar até dez crianças.

Como doar leite

As mulheres que desejam ser doadoras de leite materno podem procurar a Clínica da Mulher, no Centro de Serviços em Saúde, em frente ao terminal urbano. Uma equipe do Amamenta Brusque também realiza atendimento na Clínica Uni Duni Tê, de segunda a quinta-feira, das 13h às 17h, auxiliando e orientando as mães que têm muito leite e não sabem o que fazer. As enfermeiras do programa ainda prestam apoio às Unidades Básicas de Saúde (UBS). “Nós orientamos essas mães, e quando elas aderem ao programa vamos semanalmente nas casas buscar o leite”, diz Thaisi.

A enfermeira explica que o leite materno precisa ser armazenado no freezer, pois a partir do momento que descongela, ele perde os nutrientes essenciais para o bebê.

Após a coleta do material nas casas das doadoras, os frascos são encaminhados para o Banco de Leite de Blumenau. Lá, ele é pasteurizado e passa por uma avaliação para verificar se pode ser utilizado por outra criança. Atualmente, há mães de vários bairros e faixas etárias de Brusque que doam o seu leite.

Emoção indescritível

Aline Aguiar de Quadros, 16 anos, auxiliar de cozinha, há dois meses é doadora de leite. Quando nasceu o seu filho – Yago de Quadros -, ela estava no Hospital Azambuja e percebeu que muitas mães não conseguiam amamentar seus filhos e, portanto, sentiu vontade de ajudar essas pessoas.

Aline Aguiar de Quadros é doadora de leite há dois meses / Foto: Daiane Benso
Aline Aguiar de Quadros é doadora de leite há dois meses / Foto: Daiane Benso

Ela conta que seu peito “empedrava” e então procurou a Clínica da Mulher, que lhe passou orientações e a convidou para ceder o leite. A partir deste momento, semanalmente doa dois frascos. “Enquanto eu tiver, vou doar. Quem sabe posso ter outro filho no futuro e precisar de leite também”, diz.

Taina da Veiga Machado, 18, ajudante de serviços especiais, é mãe do Gabriel, de nove meses. Até os quatro meses do filho ela doou leite. Ela conta que tinha muito leite, que tirava de um lado e vazava do outro. “Decidi procurar a UBS do São Luiz, próximo do bairro onde eu moro, e as enfermeiras me explicaram como proceder”.

Taina da Veiga Machado sente-se muito feliz em poder doar seu leite para outras crianças / Foto: Daiane Benso
Taina da Veiga Machado sente-se muito feliz em poder doar seu leite para outras crianças / Foto: Daiane Benso

“Pra mim este período foi bom, emocionante. Ajudei outras pessoas, mas poderia ser ao contrário – meu filho poderia estar precisando”, completa.

Marlene Honisko Cesari, 28, dona de casa e mãe do Gabriel, de seis meses, também é doadora de leite. Durante três meses ajudou outras mães que não conseguiam amamentar. “Quis ajudar, pois eu tinha leite sobrando e sabia que tinha crianças na UTI que precisavam dele. Saber que tem uma criança passando fome e que eu posso alimentá-la é muito bom. É uma criança que não é o teu filho, o que torna a emoção mais indescritível”, afirma.

Para Marlene Honisko Cesari poder alimentar uma criança que passa fome é uma emoção indescritível / Foto: Daiane Benso
Para Marlene Honisko Cesari poder alimentar uma criança que passa fome é uma emoção indescritível / Foto: Daiane Benso

Leite materno

O leite materno ajuda a evitar mortes infantis, diarreia e infecção respiratória. De acordo com o Ministério da Saúde, diminui o risco de alergia, melhora o desenvolvimento da cavidade bucal e a longo prazo diminui o risco de hipertensão, colesterol alto, diabetes e reduz a chance de obesidade.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio