Conteúdo exclusivo para assinantes

Com cerca de 30 motoristas, Uber busca consolidação em Brusque

Parte dos profissionais já se dedica exclusivamente à demanda gerada pelo aplicativo

Com cerca de 30 motoristas, Uber busca consolidação em Brusque

Parte dos profissionais já se dedica exclusivamente à demanda gerada pelo aplicativo

Cerca de 30 motoristas de Uber atuam em Brusque, entre eles, cinco mulheres. A estimativa é extraoficial, já que o aplicativo não divulga dados. Ela é feita com base em grupo de WhatsApp criado para reunir os profissionais que trabalham no município.

Quase metade dos motoristas homens mantêm pelo menos duas atividades profissionais. Esta é a realidade de Ricardo Piva, 42 anos, que divide a atuação em uma loja de cosméticos com a função no Uber. Morador de Porto Belo há cerca de sete meses, ele aproveita os horários de intervalo ou de saída do trabalho no município para fazer uma renda extra.

O início na atividade foi por indicação de um amigo. Além de Brusque, ele aproveita corridas em outras cidades próximas, mas evita viagens longas devido aos compromissos profissionais. Por dia, chega a fazer mais de três atendimentos. “É um mercado crescente, sempre recebo chamadas nos horários que estou atuando.”

Mesmo levando a atividade como uma renda complementar, ele destaca as possibilidades geradas. Diferente de outras cidades, onde há atuação de mototáxis, ele vê nos usuários do transporte público os principais clientes do aplicativo no município. O motivo são os valores das tarifas e os horários escassos.

Em tempo integral
O português Marco Paulo Garcia, 47, atua pelo aplicativo no município desde janeiro. Antes disso, o ex-morador da região dos Açores já havia trabalhado como motorista em seu país e viu no aplicativo uma oportunidade de renda.

Ele veio para a região há cerca de um ano para trabalhar no setor têxtil. Como acabou ficando desempregado após a mudança, recorreu à antiga profissão por perceber demanda pelo serviço no município. Segundo ele, a adesão ao aplicativo tem aumentado.

A situação relatada por Garcia tem sido frequente entre os novos motoristas, segundo Mário Pacheco. Motorista do Uber desde o ano passado, ele deixou a área de telecomunicações para se dedicar de forma integral ao transporte de passageiros.

Um dos motivos indicados é a versatilidade de atuação. “É um mercado inovador. Infelizmente, com a crise que estamos sofrendo em relação ao mercado de trabalho, ele tem sido uma alternativa para muitos pais de família conseguirem o sustento da casa”.

Tendência de mercado
Na avaliação de Pacheco, a oferta de serviços de transporte por aplicativos tende a crescer no município. A internet tem sido utilizada para troca de informações e orientações entre os Ubers.

Outra forma de popularizar o uso do aplicativo são os cartões de desconto, oferecidos para novos usuários. Com eles, passageiros ganham descontos de R$ 10 em até duas viagens, enquanto os motoristas recebem uma comissão pelo aumento da base de passageiros.

Para Pacheco, no município há espaço para a atuação tanto dos Ubers quanto de taxistas, mas é necessário um período maior de adaptação. No entanto, avalia que é necessário maior tolerância entre os profissionais.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio