Com estoques reduzidos, supermercados de Brusque limitam itens por compra

Prateleiras de alguns estabelecimentos já estão vazias

Com estoques reduzidos, supermercados de Brusque limitam itens por compra

Prateleiras de alguns estabelecimentos já estão vazias

Com o avanço da greve dos caminhoneiros, os supermercados de Brusque têm sentido os reflexos, principalmente, com a falta de alguns produtos. Desde quinta-feira, 24, o movimento nos estabelecimentos da cidade aumentou significativamente e, sem ter como receber mercadorias, os estoques estão cada vez mais reduzidos.

O Hortifruti Direto do Campo já não abriu as portas em Brusque no sábado, já que tudo o que havia na loja foi consumido. “Na sexta-feira já tinha só 30% dos nossos produtos, não tem como ficar aberto sem mercadoria”, diz o proprietário da loja, Edson Dimon.

O estabelecimento recebe novas mercadorias diariamente, mas desde quarta-feira, 23, os caminhões não chegam para abastecer os estoques. De acordo com Dimon, não há previsão para que o hortifruti seja reaberto.

Veja o que sabemos até agora sobre a greve dos caminhoneiros em Brusque e região

No Supermercado Bistek também já começam a faltar alguns produtos, principalmente os considerados básicos como açúcar e ovos. Na sexta-feira, a gerente de operações do mercado, Simone da Silva, percebeu um aumento de 50% no movimento. De acordo com ela, os brusquenses estão antecipando a ‘compra do mês’, que geralmente é feita a partir do dia 1º.

O estabelecimento está limitando a venda a, no máximo, cinco unidades de cada item por compra, principalmente nos itens básicos como arroz, feijão e açúcar.

No Otto Atacarejo, a solução encontrada também foi limitar a quantidade de compras para um fardo e uma caixa de cada produto por cliente. “Estamos limitando para não faltar”, diz o proprietário do estabelecimento, Alcir Otto.

Apesar disso, ele afirma que a situação na loja é tranquila e que até o próximo sábado, 2, a situação está sob controle. “Pode faltar uma marca, um tipo de carne, mas sempre tem pelo que substituir. Ainda temos bastante leite, que é essencial. Tudo que é mais básico ainda temos em estoque”, afirma.

No Archer, produtos perecíveis como frutas, verduras e legumes estão em falta, além de alguns cortes de carnes.

Falta de gás
Além de alguns produtos, há ainda a preocupação com o desabastecimento de gás de cozinha e industrial no município. Na semana passada, as revendas não receberam novos carregamentos e, a maioria, já está com o estoque zerado.

Administradoras de condomínios também já emitiram alerta aos moradores para que economizem gás, já que não há uma previsão de quando poderão ser reabastecidos.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio